Disney+ adiciona advertência sobre estereótipos culturais a certos títulos

Disney Plus logo
Disney Plus logo (Reprodução)

A longo de sua história a Disney já recebeu diversas advertências por conta de estereótipos raciais em suas produções cinematográficas, principalmente as mais antigas. No ano passado, com a chegada do Disney+, a casa do Mickey Mouse decidiu tomar algumas atitudes para que algumas pessoas não se sintam ofendidas ao assistirem a seus filmes. Nesta semana, a Disney tomou um nova atitude sobre conteúdos que podem ser considerados racistas e estereotipados.

De acordo com os site Collider, quando um usuário do Disney+ for assistir a um filme como Dumbo ou Peter Pan, que podem ter conteúdos sensíveis, um aviso aparecerá antes do filme começar. No aviso está escrito: “Este conteúdo inclui representações negativas e/ou maus-tratos de pessoas ou culturas. Esses estereótipos estavam errados na época e estão errados agora. Em vez de remover esse conteúdo, queremos reconhecer seu impacto prejudicial, aprender com ele e iniciar conversas para criarmos juntos um futuro mais inclusivo. A Disney está comprometida em criar histórias com temas inspiradores e ambiciosos que reflitam a rica diversidade da experiência humana em todo o mundo. Para saber mais sobre como as histórias impactaram a sociedade, visite www.disney.com/StoriesMatter”.

Histórias importam

Quanto ao site que o comunicado pede para que você visite está repleto de análises mais profundas dos estereótipos culturais incluídos em títulos anteriores da Disney, como Aristogatas, Peter Pan e Dumbo, explicando claramente o contexto histórico que produziu tais decisões e por que elas estão tão erradas.

A página também promete como a Disney está mudando seu futuro, exemplificando que como contadores de histórias eles tem a responsabilidade não só de inspirar e defender o espectro de vozes no mundo e que apesar de não poder mudar o passado, pode-se reconhecê-lo e aprender com ele.

O site também lista os grupos de justiça social com os quais a Disney está trabalhando nesta nova iniciativa, incluindo AAFCA, CAPE, Instituto Geena Davis de Gênero na Mídia, Instituto GLAAD de Mídia, IllumiNative, NALIP, RespectAbility entre outros.

Formado em administração e psicologia. Adora cartoons, animes e series animadas. Atualmente faz curso de desenho com especialização em cartoons.