Se tudo der errado, Disney já sabe o que fazer com nova série de Lizzie McGuire

Hilary Duff e Adam Lamberg (Imagem: Divulgação)

Nunca se falou tanto da série Lizzie McGuire, nem nos seus momentos áureos como se fala atualmente. A história protagonizada pela atriz e cantora Hilary Duff ganharia uma continuação no Disney Plus, novo serviço de streaming da Disney, mostrando a vida da protagonista agora com 30 anos de idade, trabalhando como designer de interiores e morando em Nova Iorque, porém em janeiro deste ano mesmo após anúncio oficial, a produção do programa foi cancelada com alegação de divergências criativas com a diretora, e produtora executiva Terri Minsky.

Para esquentar mais ainda a situação, a estrela da série deu uma alfinetada via redes sociais ao publicar nos stories um print de uma matéria falando da remoção da série Com Amor Victor (Love, Victor) do Disney Plus antes da estreia por não ser familiar o suficiente.

Nina Bargiel, roteirista da série original explicou que a Disney já tinha planejado um reboot de Lizzie McGuire sem Hilary Duff há algum tempo, porque a atriz havia alegado no passado que não voltaria. Mas em 2018 quando ela quis reprisar seu papel a reinicialização se transformou em continuação, e a Disney afirmou a Bargiel que ela não estaria mais envolvida no projeto.

A revista Variety informou que Misky e Duff queriam uma versão mais adulta do programa destinada ao público que era adolescente na época da série original, e que cresceu, tendo hoje percepções e anseios diferentes. Um porta-voz do Disney Plus negou que a série esteja sendo descartada, e uma notícia deu conta de que é possível que a Disney escolha um diferente showrunner para equilibrar os desejos tanto da empresa como de Duff, o que seria algo improvável, e eles podem correr o risco de perder sua estrela com isso. Sendo assim, o streaming partiria para sua opção descartada no passado, tirar Hilary Duff do projeto, e refazer a série nos moldes 2020, com uma nova adolescente.

“Sinto uma enorme responsabilidade em honrar o relacionamento dos fãs com Lizzie, que cresceu se vendo através dela. Eu prestaria um desserviço a todos, limitando a realidade da jornada de uma pessoa aos 30 anos, a uma classificação livre. É importante para mim que assim como as experiências de vida de uma adolescente sejam retratadas, os anos seguintes a vida dessa pessoa também sejam situações autênticas e reais. Seria um sonho se a Disney nos permitisse mudar o programa para o Hulu. Se eles estiverem interessados, eu poderia dar vida a essa amada personagem, novamente”, desabafou ela em post no Instagram.