Disney se pronuncia sobre uso de imagens dos Muppets na campanha de Joice Hasselmann

Disney confirmou que não autorizou a Joice Hasselmann utilizar imagens de suas produções na campanha eleitoral a prefeitura de São Paulo (Imagem: Reprodução)

A Disney do Brasil se pronunciou sobre as peças publicitárias utilizadas pela candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PSL, Joice Hasselmann, para a sua campanha eleitoral, nas quais usa imagens de filmes da empresa, como Os Muppets, entre outros clássicos da gigante do entretenimento.

Um dos vídeos publicados no Twitter, na última sexta-feira (02), mostra trechos de filmes da produtora, assim como de outras companhias, como uma analogia à comparação depreciativa feita por bolsonaristas, que se tornaram seus adversários desde que se desligou do governo federal, ao qual era aliada, entre a parlamentar e personagens dos desenhos animados, como Miss Piggy e Peppa Pig. 

Lider do governo do Governo Bolsonaro na Camara dos Deputados, Joice se desentendeu com a ala do atual presidente da república após ser a autora de denúncias sobre o suposto uso de perfis falsos e disparo de fake news com o uso de dinheiro público através de campanhas nas redes sociais.

As imagens contidas no filme da campanha, assim como o material musical, possuem direitos autorais e para serem utilizados em produtos desta natureza é necessária uma autorização prévia por meio de pagamento de direitos patrimoniais. 

Ao G1, a Disney do Brasil disse através de comunicado, que não foi cedido “direitos de uso de imagem” por parte da empresa para a campanha de Joice. Sobre a possibilidade do pedido para retirar o vídeo no ar, através do ingresso de uma ação judicial e suspender a sua divulgação, a Disney absteve-se que não iria fazer mais nenhum comentário a respeito.

A publicação pediu ainda um posicionamento dos responsáveis pela campanha de Joice Hasselmann sobre o caso, mas até o fechamento desta matéria a reportagem ainda não havia sido atualizada.

A aplicação indevida de obras é passível de penas cíveis e penais, configurando crime a usurpação de direitos autorais, de acordo com Lei 9.610/98. Caso haja condenações nestes casos, a pena pode chegar à reclusão de 2 a 4 anos de prisão.

(Imagem: Reprodução/Twitter)

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.