Drácula: Claes Bang revela se quer interpretar novamente o vampiro na 2ª temporada

Dracula
Imagem promocional da série Dracula, parceria entre BBC One e Netflix (Imagem: Divulgação/BBC One/Netflix)

Em janeiro desse ano foi lançada a minissérie Drácula, inspirada no clássico de Bram Stoker e fruto de uma parceria da Netflix com a BBC one. Uma segunda temporada ainda não foi confirmada, no entanto, para Claes Bang, o intérprete do grande vampiro, a ideia de uma possível renovação seria muito boa. O ator afirma que adoraria voltar a interpretar o vilão.

“Isso é absolutamente algo que acho que está sendo discutido, mas acho que não há notícias. Eu não ouvi nada. Eu ficaria super feliz em fazer mais uma [temporada]. Eu adoraria voltar com todas essas pessoas e fazer mais. Foi realmente gratificante e adorável, e muito, muito legal de fazer”, disse o ator em entrevista ao Collider. Ele acrescentou: “Acho que o que está acontecendo é que a Netflix e a BBC estão avaliando como isso é feito, e tudo isso. Infelizmente, não posso lhe contar nada porque não sei, neste momento. Eu adoraria saber e adoraria fazer mais uma, mas ainda não há novidades sobre isso”.

Além de Claes Bang, a minissérie também conta com Dolly Wells, Joanna Scanlan, John Heffernan, Morfydd Clark, Jonathan Aris, Lujza Richter, Nathan Stewart-Jarrett, Sacha Dhawan, Catherine Schell, Clive Russell e Youssef Kerkour.

Drácula foi criada por Steven Moffat e Mark Gatiss, dupla responsável pela série Sherlock.

 

Recepção

No geral, as críticas foram positivas. No Rotten Tomatoes, por exemplo, a minissérie possui uma aprovação de 71%, com base em 48 avaliações. O consenso afirma: “Uma deliciosa mistura de horror e humor que equilibra mais ou menos as sensibilidades modernas e o legado amado do personagem, Drácula é um tempo assustadoramente divertido – se não sempre fiel”.

Confira alguns dos comentários:

“Esta adaptação em três partes do clássico de Bram Stoker é uma obra-prima sangrenta do começo ao fim.” – David Sexton, London Evening Standard.

“Esta é a versão mais divertida e enérgica de Drácula que eu já vi, fazendo referência a toda a iconografia usual – crucifixos, espelhos, morcegos, luz do sol – mas também enviando-as.” – Carol Midgley, Times (Reino Unido).

“Como Sherlock, ele é repleto de diálogos espirituosos, efeitos especiais sofisticados e o tipo de edição rápida e disparadora que cria o valor de choque desejado. Como é uma história de vampiros, também há uma abundância de sangue.” – Debi Enker, The Age (Austrália).

“Assustador, engraçado, incomum, ao mesmo tempo um tributo ao horror clássico do cinema e um pastiche do mesmo, ele alterna entre grandes risadas e imagens inquietantes.” – Louisa Mellor, Den of Geek.

“Há estranheza fascinante suficiente em todas as três vertentes para pelo menos fazer valer a pena suas falhas.” – Alasdair Wilkins, AV Club.

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.