Edgar Wright revela se Scott Pilgrim pode ganhar série de animação

Edgar Wright, diretor de Scott Pilgrim Contra o Mundo
Edgar Wright, diretor de Scott Pilgrim Contra o Mundo (Reprodução)

Em agosto o filme Scott Pilgrim Contra o Mundo completa 10 anos de lançamento, e seu diretor Edgar Wright, revelou em entrevista à Entertainment Weekly que tem conversado com o autor dos quadrinhos que deram origem ao longa, Bryan Lee O’Malley, sobre a possibilidade de realizar uma continuação para as telonas, junto com Jared LeBoff, produtor executivo do filme.

Mas isso pode não sair na forma de um live-action, e sim em forma de animação. “Existem planos – nada oficial por enquanto -, mas temos planos para revisitar o material em uma animação. Temos falado com Bryan e Jared há um tempo sobre isso: e se fizéssemos com os livros em forma de anime? Está sendo discutido neste momento”, disparou.

Alguns atores, como Michael Cera já chegaram a dizer que adorariam reviver seus personagens numa continuação. Entre eles, o principal é Chris Evans, que comparou em entrevista recente os fãs do filme, com os fãs da Marvel. “Os fãs da Marvel são apaixonados, mas os de Scott Pilgrim são os mais leais e dedicados que já vi”, disse ele.

Sobre a bilheteria do filme não ter sido tão maravilhosa quanto se esperava, Wright diz ter ficado satisfeito com o resultado, embora as críticas de colegas da indústria do cinema, o chatearam, como Seth McFarlane, roteirista de Ted e criador do desenho Family Guy, que fez pouco do filme em seu fim de semana de estreia através do Twitter.

“Scott Pilgrim foi lançado no mesmo fim de semana de Os Mercenários, e ficou em quinto lugar entre os mais vistos. É aquela coisa em que se torna um pouco complicada. Eu nunca gostei de Seth MacFarlane, porque naquele fim de semana ele twittou: ‘Scott Pilgrim 0, o mundo 2’. Eu estava tipo, fod**** você. E então fiquei esperando até que Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola lançar, e esfreguei minhas mãos com alegria. Não tuitei nada porque não sou um monstro total (Risos). Mas segunda-feira de manhã, Michael Moses enviou um e-mail com três palavras. Foi um dos e-mails mais doces que já recebi de qualquer pessoa na indústria. Dizia: ‘Anos, não dias’”.