Elite: Danna Paola se pronuncia sobre saída da série e futuro de sua personagem

Danna Paola como Lucrécia em cena de Elite (Imagem: Divulgação/Netflix)

A atriz Danna Paola, intérprete de Lucrécia na série Elite, concedeu uma entrevista ao UOL, na qual contou sobre sua despedida na produção da Netflix, e deu a entender que os dias de Lu podem ainda não terem chegado ao fim.

“Eu não sou boa com despedidas e essa personagem para mim não tem um adeus. Os diretores, os produtores, e, sobretudo os roteiristas sempre acabam nos surpreendendo”, afirmou ela.

Segundo a estrela, a personagem foi marcante em sua carreira, a atriz também afirmou que está na expectativa do que ocorrerá no próximo ano da série. “Nessa quarta temporada não tenho ideia do que vai acontecer, a não ser que eu e a Nádia estaremos em Nova York. Enquanto isso, Las Encinas seguirá sendo uma loucura. Então vamos ver o que acontece”.

A mexicana também refletiu a respeito da trajetória do seu papel na série. “Foi complicado fazer um arco emocional tão importante durante as três temporadas. Tive que entendê-la desde a raiz para criar essa adolescente tão complicada.”

“Ela foi a personagem mais odiada na primeira temporada, ao mesmo tempo em que ela tinha um lado garota malvada, escondia demais suas emoções. Então para mim foi interessante interpretá-la com tantas caras e tantas máscaras. E com isso aprendi muito”, complementou.

A atriz nunca veio ao Brasil, mas reconhece o carinho que recebe dos fãs daqui. “De minha parte eu agradeço todo o amor que recebemos do Brasil, especialmente pela Lucrécia. Muito obrigada”, agradeceu.

De todas as temporadas,  a terceira foi uma das mais bem comentadas entre os críticos, conseguindo atingir 100% de aprovação no Rotten Tomatoes.  Confira algumas: “Elite está de volta em boa forma para uma terceira temporada projetada para a diversão dos fãs desta série” – Mikel Zorrilla, Espinof.

“A Elite tem sido a joia da coroa na frente do drama adolescente por três temporadas, oferecendo drama do ensino médio, alta moda e reviravoltas impressionantes, contadas através de um roteiro espirituoso, com o grupo mais bonito de atores na tela pequena” – Paul Dailly, TV Fanatic.

“É sexy, obsceno e totalmente ridículo – mas, três temporadas depois, a Elite conseguiu o feito surpreendente de manter seus personagens centrais fundamentados na realidade. E é isso que o torna um programa de TV tão atraente” – Joshua Haigh, Radio Times.

“Elite ainda é brilhante, e sim, todos no programa são dolorosamente bonitos, mas todas as três temporadas do melhor drama adolescente da Netflix parecem muito mais reais e relevantes do que qualquer um de seus colegas no momento, principalmente quando se trata de representação LGBTQ+” – David Opie, Digital Spy.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.