Em programa, Jimmy Kimmel faz desabafo emocionante sobre seu privilégio branco

Jimmy Kimmel (Divulgação)

Na abertura de seu programa desta terça-feira, 02 de junho, o apresentador Jimmy Kimmel se abriu ao falar de seu privilégio branco em um grande monólogo. Ele fez questão de falar sobre o oitavo dia de protestos nos Estados Unidos pelo assassinato de George Floyd, por um policial.

“Eu sei que muitas pessoas brancas se irritam quando ouvem a palavra privilégio, assim como quando ouvem privilégio branco, porque existem milhões de pessoas brancas – que não cresceram com dinheiro ou com uma boa educação ou com uma sólida formação familiar. Então, quando ouvem a palavra privilégio, dizem ‘que privilégio? Eu cresci sem nada. Eu trabalho duro. Eu ganhei o que tenho. Ninguém me deu nada ‘. Você ouve privilégio branco – e é fácil ficar na defensiva. A primeira vez que ouvi, fiquei”, começou.

“Para mim, privilégio branco era o que Donald Trump tinha – um pai rico e uma colher de prata na boca. Não foi com o que eu cresci. Então, eu rejeitei a expressão porque não entendi o que significava privilégio branco. Mas acho que agora eu sei. Acho que pelo menos entendi um pouco e aqui está o que acho que é. Pessoas brancas – não precisamos lidar com suposições negativas sobre nós – com base na cor de nossa pele. Isso raramente acontece, enquanto os negros experimentam isso todos os dias”, acrescentou.

Ele destacou um vídeo recente que mostrava um grupo de pessoas sinalizando à polícia que uma loja estava sendo saqueada e, ao invés de as autoridades pararem os saqueadores, elas algemavam as pessoas que estavam avisando sobre o assalto.

“Imagine como deve ser frustrante ser algemado, revistado ou encostado só porque você é negro. Eu não sei você, mas isso me deixaria furioso”.

“Agora imagine como deve ser brutalizado, e morto. E ficar com medo de que essas coisas possam acontecer… O que aconteceu com George Floyd estava em vídeo. Quantas vezes isso acontece sem uma câmera gravando tudo? Parece-me que isso acontece o tempo todo. Mas não vemos a menos que seja publicado online. E então nós estamos chocados e os negros perguntam ‘por que você está chocado? Temos dito a vocês que isso vem acontecendo repetidamente’. Então, se você está se perguntando: por que as pessoas estão com raiva e por que não podem simplesmente marchar na rua segurando suas placas em uma única fila? Talvez seja por isso”, finalizou ele emocionado.