Emma Thompson faz revelação chocante sobre machismo de Hollywood

Emma Thompson (Imagem: Divulgação)omp

Aos 60 anos, Emma Thompson deu uma entrevista sincerona para o podcast The Pleasure, e criticou a indústria cinematográfica dizendo que sempre foi escalada para papéis de mulheres feias, e atribuiu isso ao machismo enraizado na cultura do cinema estadunidense. “Eu nunca correspondi ao padrão Gwyneth Paltrow. Eu nunca me apeguei aos padrões geralmente exigidos para uma pessoa sexy quando estamos falando de Hollywood”, revelou a atriz britânica. 

Ela explicou que nunca um roteiro de uma personagem sua veio marcado com qualquer menção à beleza física da personagem, algo que ela considera um verdadeiro alívio pois se considera uma atriz de construção de personagem e não alguém cujo corpo vá ter uma importância fundamental em qualquer obra que possa fazer. “Uma vez eu recebi um roteiro que descrevia a personagem como ‘linda’ e acabei não ficando com o papel”.

“Eu me sentia aliviada, mas também oprimida por isso. É óbvio. À medida que você fica mais velha você se sente aliviada, mas acabei não tendo a trajetória que alguém como, por exemplo, a Michelle Pfeiffer, o que deve ser muito difícil quando você é considerada bonita para a tela e vê essa beleza indo embora”, disparou ela afirmando ainda que ao ver situações como a mencionada logo concluía que aquele papel não era feito para ela devido à necessidade de um padrão estético. 

Questionada sobre as dificuldades de estar em Hollywood, ela contou que já passou por uma situação de assédio no início de sua carreira, e que conseguiu interromper as investidas do indivíduo que ela preferiu não revelar a identidade. “Eu tinha uns 20 e poucos anos e ele era um homem muito mais velho, ele se aproximou e colocou a mão por baixo da minha saia. Eu segurei o pulso dele e disse, ‘eu acredito que você esteja querendo se aproveitar’ e ele imediatamente tirou a mão e parou. A vergonha que ele sentiu o impediu de continuar e me protegeu do meu próprio sentimento de vergonha. É algo extremamente empoderador conseguir dizer ‘não’ imediatamente”