Alexandre Machado fala pela primeira vez sobre a vida sem Fernanda Young

A escritora, roteirista e atriz Fernanda Young, que morreu em agosto de 2019 (Imagem: Reprodução/Instagram)

Em agosto do ano passado, o Brasil acordou em um domingo sem acreditar na notícia que estampava as capas dos sites de notícias. A atriz, roteirista, escritora e apresentadora Fernanda Young morreu depois de sofrer uma parada cardíaca, proveniente de uma crise de asma. Agora, tantos meses depois, seu marido, Alexandre Machado, decidiu falar publicamente a respeito pela primeira vez. Ele concedeu uma longa entrevista ao roteirista Gustavo Contijo no YouTube.

Durante o papo, Alexandre, que foi parceiro de Young na criação de várias séries – incluindo Os Normais, um dos maiores sucessos da TV brasileira – contou como tem conseguido se manter firme após a perda e durante a pandemia do novo coronavírus. “A gente que tem filho pequeno não pode se dispersar. Tem que acreditar em algo, que não sei exatamente o que é… Aliás, eu sei exatamente o que é: é o amor, sendo o mais cafona possível. Na minha vida ultimamente fatos aconteceram que me tiraram coisas nas quais eu acreditava fortemente. Uma coisa que ficou e que me salvou, continua me salvando, continua nos salvando como família, é o amor”, afirmou.

Momentos com Fernanda Young

Machado revelou que decidiu ser roteirista depois de escrever, com Fernanda, o roteiro do filme Bossa Nova (2000). Dentro de pouco tempo, o casal acabou se juntando novamente para escrever a série, que foi ao ar entre 2001 e 2003. “Guel Arraes me chamou e queria encomendar um seriado em torno do Luiz Fernando Guimarães. Pensei: ‘se rolar, vou largar a propaganda e me dedicar. Tinha muita coisa minha e da Fernanda naquele casal, a loucura toda das coisas. Basicamente a energia feminina do caos e a masculina, querendo resolver os problemas. É da mulher aquela energia maravilhosa, que faz o mundo girar, que é a do tumulto. E Fernanda era aquele tumulto constante, enquanto eu o cara que não quer problemas”.

O roteirista falou a respeito de Fernanda Young e brincou sobre não ter muito gosto pela leitura. “Ela deve estar me odiando lá no céu”, disse ele, que ainda relembrou que acabava irritando a esposa em alguns momentos com seu jeito. “Ela se irritava comigo porque gosto de ouvir música alta”. Alexandre Machado ainda emocionou ao contar sobre as homenagens feitas pelos amigos na ocasião da morte.

“Um pensamento que tive e falei com minha filha outro dia é que não importa pelo que você passa, importa no que você se transforma. A gente vai passar por coisas horríveis, todos passamos. A gente não tem o menor controle pelo que vai passar. Nossa família é um exemplo, passamos por coisas muito difíceis recentemente”, concluiu.