Andressa Urach fala sobre síndrome de borderline

A modelo Andressa Urach, de 34 anos de idade, tirou um tempo para conversar com os seus seguidores nas redes sociais a respeito de um assunto para lá de delicado. Por meio dos stories do seu Instagram, Urach recordou a síndrome de Bordeline, transtorno de personalidade limítrofe, em que teve após a separação do seu marido Thiago Lopes.

“Quando a gente terminou, foi bem difícil, porque eu estava passando por aquelas crises, por causa do meu problema de saúde, o Borderline. Estou fazendo tratamento psiquiátrico com a ajuda de psicólogos, tomando minhas medicações certinhas. E com fé em Jesus. Eu recém tinha saído de uma internação psiquiátrica por causa das crises do Borderline, porque estava há muito tempo sem medicação. Não estava nem conseguindo orar de tanta coisa ruim que aconteceram nos últimos anos. Eu estava quase desistindo”, disse ela.

Andressa Urach que se separou recentemente e logo após reatou o seu casamento com o Thiago Lopes, disse que de certa forma foi muito importante passar por todo esse processo: “Acho que foi importante a gente passar por essa fase difícil para entender o que a gente quer da vida e lutar pela nossa família. Fiquei muito feliz por ele lutar por mim, porque eu já tinha casado anteriormente com o pai do Arthur e não tinha dado certo. Então, não acreditava mais no amor quando conheci meu marido. Eu me apaixonei por ele, sou apaixonada, amo ele”, falou ela.

Por fim, a ex Fazenda disse que recebeu todo o suporte de seu amado para fazer cursos e se especializar, para no futuro abrir o seu salão de beleza:  “Para falar a verdade, quando a gente casou, eu não queria trabalhar, queria ficar dependendo somente dele. E ele disse que não, que eu tinha que ser independente, ele que começou a me incentivar a fazer os cursos. E quero me especializar em todas as áreas, até porque eu pretendo abrir meu salão de beleza”, finalizou.

Anunciou a volta para a igreja

No último sábado, Andressa Urach usou as suas redes sociais para contar aos seguidores que estava voltando para a igreja Universal junto com o seu marido.

“Ontem foi um dia muito especial, pois eu e meu esposo nos batizamos. Quero deixar claro que não concordo com a fogueira santa e também não gosto de algumas pessoas que lideram a Universal, mas como sei que o Bispo Guaracy e a dona Thais são pessoas de Deus, vou voltar a frequentar as reuniões do bispo, acompanhada do meu esposo. E se não fosse o bispo Guaracy que estivesse aqui na catedral do Rio Grande do Sul, eu também não estaria frequentando a Universal, enquanto não mudasse a liderança da mesma”, contou ela.

MAIS LIDAS

Veja mais ›