Anne Hathaway conta que odeia o próprio nome

Anne Hathaway
Anne Hathaway

Por essa ninguém esperava. A atriz Anne Hathaway confessou em uma entrevista virtual para o programa The Tonight Show With Jimmy Fallon que simplesmente odeia seu nome.

Ela explicou que prefere ser chamada por seu apelido Annie (que é como se fosse seu nome no diminutivo).

“Me chamem de Annie, pessoal. Todo mundo me chame de Annie, por favor” ela implorou.“Qualquer coisa menos Anne.”,

A estrela de 38 anos é conhecida publicamente pelo seu nome de nascimento, Anne Hathaway, desde que estrou em seu primeiro filme aos 14 anos.

Sua mãe, no entanto, é a única pessoa em sua vida que a chama de Anne e isso só acontece quando a matriarca está chateada com a superestrela, segundo ela própria explicou.

“Portanto, toda vez que saio em público e alguém chama meu nome, acho que vão gritar comigo”, disse ela ao apresentador.

‘Annie’ se casou com o ator e empresário Adam Shulman em 2012. Eles são pais de Jonathan, 3 e Jack.

“As pessoas são adoráveis, elas não querem parecer presunçosas, então dão um jeito de se virar nos sets, porque ninguém se sente confortável me chamando de Anne. É que apenas não funciona para mim. Eu sou a Annie. As pessoas também me chamam de Miss H ou Hath, me chame de qualquer coisa menos Anne”, explicou.

Choque de geração em Hollywood

A atriz certa vez falou em entrevista sobre as diferentes de gerações que existem em Hollywood. Ela tinha acabado de contracenar com Robert De Niro em Um Senhor Estagiário.

“Há prós e contras. Não é só uma questão de geração ou de Hollywood, o mundo está completamente diferente. Privacidade não existe mais. Existia antes. E, num mundo sem privacidade, ser uma pessoa privada não é algo que as pessoas entendam ou respeitem necessariamente. Se você é alguém como Robert De Niro, uma lenda, todo mundo sabe quem você é, não precisa fazer propaganda. Se é alguém começando, pode ser benéfico para sua carreira mostrar que é engraçado, bom fotógrafo, compartilhar sua voz, deixar as pessoas te conhecerem. É outro mundo”.

Questionada se só aceita papéis muito bons depois de ter ganhado o Oscar, ela discordou que precise ser mais ‘esnobe’ por causa disso.

“Não sei, deveria? Estou perdendo alguma coisa? Não. O Oscar é uma indicação de que fiz um trabalho uma vez que as pessoas acharam que era digno de um Oscar. Não torna você uma atriz melhor. E também não significa que você precisa fazer só um tipo de papel. Meu objetivo sempre foi fazer os melhores trabalhos, com os melhores diretores disponíveis. Não quero fazer uma carreira de vencedora do Oscar. Só quero ser feliz”.

Veja mais ›