Após polêmica, Jade Picon terá que pagar para atuar em novela da Globo

publicidade

Depois de protagonizar uma grande confusão com a classe artística nos últimos meses, a ex-BBB Jade Picon finalmente conseguiu ser confirmada na próxima novela das 21h da TV Globo, Travessia. Assinado por Glória Perez, o folhetim estreia em outubro.

A situação acontece após a emissora entrar em uma batalha contra o Sated-RJ (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro). O órgão havia se posicionado contra a escalação da influenciadora para a novela, mas abriu uma brecha.

publicidade

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

Terá que pagar

Em entrevista para o site Em Off, o ator Hugo Gross, presidente do sindicato, afirmou que Jade está legalmente permitida a atuar na novela global, mas com algumas ressalvas. Ela terá que pagar ao órgão um valor que equivale a 5% do seu salário na emissora carioca.

“Continuamos a defender o registro profissional com unhas e dentes e vamos defender sempre. O Sated dentro da Lei 6533/78 não tem poder de polícia, mas dentro da lei existe uma lacuna, em que qualquer empresa de teatro, de cinema ou de teledramaturgia, que seja de shows, tem o direito a um número específico de cada produto. Por isso, existe autorização especial para aquele produto. Nesse caso da Jade Picon, nós demos uma autorização especial e específica para aquele produto, válido para o período que foi pedido“, esclareceu Hugo Gross.

Autorização especial

O presidente do sindicato continuou afirmando que a ação da TV Globo segue dentro da legalidade. No entanto, ele garantiu que a influenciadora não terá direito a um registro profissional após o fim da trama.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

“Dentro de uma obra podem ter se eu não me engano três para cada produto. Então mais que isso não pode ser feito. O sindicato não está aqui para tolir trabalho de ninguém. Muito menos das empresas. Está aqui pra proteger a lei. E quando a coisa é feita dentro da legalidade não tem como negar isso. A Rede Globo fez dentro da legalidade.

Foi feita uma reunião e nós cedemos uma autorização específica para o produto. E continuaremos lutando e defendendo a classe. Vale salientar que o SATED não tem poder de polícia, tem poder de ações e se tiver que fazer várias ações junto ao Ministério do Trabalho, assim será feito em respeito ao trabalhador da arte. Também pedimos para que utilizem e tentem utilizar mais pessoas com registro profissional”, explicou ele.

publicidade

Segundo Gross, o valor que será pago por Jade ao sindicato será “confiscado” devido ao pedido especial realizado pela Globo. “Tem um percentual que é pago quando há o pedido de autorização especial, que é de 5% da remuneração da pessoa”, disse.

O que você achou? Siga @entreteoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›