Arthur Picoli se revolta ao ser zombado em balada

Natural de Conduru, uma cidade do Espírito Santo, o ex-BBB Arthur Picoli usou as redes sociais para dizer que sofreu preconceito em uma balada em Santa Catarina, por ter nascido no local pouco conhecido.

Segundo o atleta, o adversário falou que ele tinha acabado de chegar da roça, o que lhe deixou irritado. Nos stories, ele rendeu diversas críticas ao comentário preconceituoso.

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

“A roça chegou mesmo, filho da p*ta. A diferença é que eu cheguei e queimei meu carvão, diferente de você que depende do cartão do papai. Playboy de m*rda. Engole seu preconceito junto com meu Conduru mais conhecido que você”, iniciou ele.

Na sequência, o artista publicou a foto de uma tatuagem que fez na perna, onde mostra todo o seu orgulho pela cidade que nasceu e cresceu.

“Tenho orgulho demais de onde eu vim, vocês não tem ideia. O problema é que rico acha que pobre tem que ser pobre pra sempre, como se fosse uma regra da vida, sabe? Ou então acham que tem ‘lugar de rico e lugar de pobre’. Meu irmão, as pessoas vão onde querem e podem. Não vai ser um playboyzinho cocô que vai definir onde vou”, respondeu ele.

Ao encerrar, o galã voltou a debochar da cara do individuo que menosprezou a sua origem. “Dinheiro não é motivo para ser ou não respeitado. A grana só serve para proporcionar momentos. Tá se incomodando por eu estar na baladinha ou porque as meninas da sua mesa ficaram olhando e comentando quando eu cheguei?”, apontou ele.

Se arrependeu

Ao participar do programa Encontro, com Fátima Bernardes, Arthur Picoli disse que se arrependeu de ter brigado feio com Fiuk durante diversas dinâmicas que aconteceram no BBB 2021.

“Hoje um dos caras que mais converso aqui fora é o Fiuk. Amizade de desejar ‘feliz Ano Novo’ e ‘feliz aniversário’, é o Fiuk. E a gente protagonizou, na edição passada, o Jogo da Discórdia mais pesado. No momento foi uma coisa que não foi legal. Eu não me orgulho de ter usado aquela palavra. No momento foi uma coisa que não foi legal. Eu não me orgulho de ter usado aquela palavra. Eu acho que você pode falar de tudo no Jogo da Discórdia, desde que você saiba falar. Às vezes você fere um pouco da integridade e do ego e a pessoa se sente ferida. Você se sente machucado e reage no impulso. Não é à toa que depois eu choro pra caramba”, argumentou.

Confira:

O que você achou? Siga @siteentrete no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Rafael Carvalho
Formado em Jornalismo pela Faculdade das Américas (FAM), já apresentou programa de entretenimento relacionado ao mundo dos famosos e entrevistou artistas do meio.
Veja mais ›