Autora da Globo pede desculpas após polêmica racista em novela

Pilar (Gabriela Medvedovski) e Samuel (Michel Gomes) em cena de Nos Tempos do Imperador que personagem fala de "racismo reverso" (Foto: Reprodução/TV Globo)
Pilar (Gabriela Medvedovski) e Samuel (Michel Gomes) em cena de Nos Tempos do Imperador que personagem fala de “racismo reverso” (Foto: Reprodução/TV Globo)

Autora de Nos Tempos do Imperador, a novela das seis da Globo, Thereza Falcão foi às redes sociais pedir desculpas após uma cena polêmica. Na trama, uma cena mostra um negro dizendo que a namorada branca sofreu “racismo reverso”.

No folhetim das 18h, Jorge/Samuel (Michel Gomes) sugeriu durante conversa com Pilar (Gabriela Medvedovski) que ela sofreu “racismo reverso”. Isso aconteceu depois que a namorada branca foi rejeitada em um espaço que os negros usavam como abrigo.

“Só porque você é branca não pode morar na Pequena África? Como queremos ter os mesmos direitos se fazemos com os brancos as mesmas coisas que eles fazem com a gente?”, disse o personagem negro na cena de Nos Tempos do Imperador.

Autora da Globo pede desculpas

Depois da péssima repercussão da cena, Thereza Falcão, que divide a autoria da novela das seis com Alessandro Marson, se manifestou. Nas redes sociais, a novelista pediu desculpas e se explicou.

Foi péssimo. Pedimos muitas desculpas. Eu mesma quando vi a cena aqui em casa, falei: o que foi isso? Todos os capítulos que vão ao ar até o 24 foram escritos em 2018, gravados na ampla maioria em 2019″, se justificou ela.

“Na época não contávamos com uma assessoria especializada, o que só aconteceu no ano passado, com a entrada do [pesquisador de cultura afro-brasileira] Nei Lopes. Hoje assisto a muitas cenas com uma sensação muito longínqua. Mais uma vez pedimos desculpas por cometer um erro grosseiro como esse, disse a autora da Globo.

Cena de Nos Tempos do Imperador é detonada

O pedido de desculpas de Thereza Falcão pela cena de Nos Tempos do Imperador aconteceu em uma publicação do influenciador AD Júnior, que detonou.

Mas gente quem pensou essa cena? São cenas como essa que viram verdades para pessoas desinformadas sobre o período da escravidão.

Pessoas negras nem eram consideradas seres humanos e nem poderiam de fato segregar pessoas. Sem poder. Os brancos poderiam morar até lá no centro da pequena África se quisessem. Eles são e eram donos de tudo… Pessoas negras viviam em regime de exceção. Um homem preto sentado num banco de uma praça com uma mulher branca, seria um ET que está visitando a sua namorada em marte… primeiro porque pessoas negras não podiam ‘vadiar’ ou seja, andar sem destino e sentar no banco da praça!

No Brasil ainda em algumas cidades históricas é possível visitar as ruas de trás e até no Rio de Janeiro pessoas negras não podiam andar em algumas ruas, haviam as ruelas por trás, as vielas, onde essas pessoas poderiam andar… na reforma de Pereira Passos por exemplo em algumas ruas havia até código de vestimenta. Ok? Imagina sentar na praça de mãos dadas.

O conceito de direitos igualitários nem se discutia do ponto da humanidade. Entenda: Negros não eram seres humanos.

Revolta entre negros

A fala de um homem negro no período da escravidão dessa forma seria tão bizarra que chega a assustar quem assiste uma cena dessas. Quem foi o ser que escreveu esse texto?!

Aplicar o conceito de racismo reverso numa fala é muito perigoso e essa cena vai morar na cabeça de milhares de pessoas. Um desserviço total.

Lembrando também que relações inter-raciais de forma explícita naquela época eram raros, uma vez que o conceito de relações entre negros e qualquer outros grupo étnico eram mal visto pela sociedade – durante o período escravagista. O conceito ou a ‘quase’ permissão para esse tipo de relação só vai acontecer na primeira metade do século 20.

No Brasil casamentos inter-raciais são minoria segundo dados do IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística] e nos Estados Unidos, somente em 1968 casamentos entre negros e brancos passaram a ser permitidos”, escreveu ele em seu perfil no Instagram.

Artistas reprovam

Artistas da própria Globo criticaram a cena de “racismo reverso” exibida na novela das seis. “Inacreditável”, comentou Fabiula Nascimento. “Bastante vergonha”, declarou Ícaro Silva. “Sério?”, se surpreendeu Monica Iozzi.

Vitor Peccoli
Publicitário formado pela Faculdade Pitágoras e roteirista pela Casa Aguinaldo Silva de Artes. Atua no jornalismo de TV e famosos desde 2013.
Veja mais ›