BBB 21: Rejeição de Karol Conká deixa Gilberto de boca aberta; assista

Gilberto Nogueira no Bate-papo BBB (Reprodução/Globoplay)
Gilberto Nogueira no Bate-papo BBB (Reprodução/Globoplay)

Gilberto Nogueira, quarto colocado do Big Brother Brasil 21, ficou completamente chocado ao saber que Karol Conká teve uma rejeição histórica com sua participação no reality global.

Em entrevista no programa Bate-Papo BBB na madrugada desta segunda-feira (3), o economista não conseguiu conter sua expressão de choque ao ver no telão a porcentagem da eliminação da rapper. Que foi uma de suas grandes rivais dentro do jogo.

“Ai Brasil, estou passado, chocado. Pobre do Arthur, meu Deus. Deve estar todo nervoso”, iniciou Gil, ao ver apenas as porcentagens baixas dos seus antigos colegas de confinamento.

Ao ver que logo em seguida os números indicando a rejeição de Kerline, Nego Di, Viih Tube, Sarah e Karol Conká, esta última que saiu com 99,17%, ele ficou de boca aberta, gerando caras e bocas imediatas.

“Meu Deus, Jesus! Esse povo ai tá com a consciência viva? Sarah [Andrade], minha amiga. Olha a Viih, meu Deus, Ana Clara. Minha gente, tô chocado. Eu sei que é difícil para eles, mas é chocante. 99%? Nunca Só que eu pensava que eu ia sair com 99%”, disparou Gil.

Gil ainda questionou por qual motivo Viih Tube acabou sendo tão odiada pelo público: “Por que a Viih saiu com tanta rejeição?”. Ana então tenta explicar para o ex-BBB: “Tem vários fatores que eliminam uma pessoa. Vocês lá na casa não tinham a dimensão do jogo da Viih”.

Amizade sincera

Pela manhã Gilberto esteve no programa Mais Você e comentou sobre os principais acontecimento envolvendo sua passagem pelo Big Brother Brasil 21. O pernambucano disse que sua relação com Sarah Andrade foi uma amizade verdadeira.

Gil afirmou que não imaginava que poderia criar relações tão intensas dentro do reality, mas que acabou sendo surpreendido com o sentimento que construiu por Sarah. O economista garantiu que gostaria de levar a amizade para sua vida.

“Na quinta semana, disse que eu e ela éramos dois vilões. Eu já senti ali. A gente se perde, Ana. Aí volta do paredão, Sarah, depois eu, deu ruim. O povo vinha: ‘vocês sabem de tudo’. Ficava: ‘Eita, Senhor da glória, vai ser grande minha vitória’. Eu e Sarah começamos a ser muito aceitos”.

“Quando entrei, pensei que amigo tinha lá fora. Lá dentro, descobrimos que relações são reais, sim. Sarah era minha parceira. Ela era meu ponto seguro. Alguém que vai para minha vida toda. Se eu pude contar com ela no jogo disputando R$ 1,5 milhão, posso contar para vida”.

Veja mais ›