Camilla Camargo fala da relação com o pai e rejeita brigas: “Me afasto”

publicidade

Atriz, a filha de Zezé di Camargo, Camilla Camargo atuou no SBT em novelas como Carinha de Anjo e conta muitos fãs nas redes sociais. Além disso, ela é mãe de Joaquim e da mais nova, Julia, fruto do romance e casamento com Leonardo Lessa.

Em conversa exclusiva com o Entretê, Camilla falou sobre a família e admitiu ser apaixonada pela arte. Ela ainda opinou sobre maternidade ao lado de planos para a carreira.

publicidade

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

-Como nasceu o seu amor pela arte?

Entrei para o teatro aos 8 anos de idade, acredito que foi ali que começou. Nas apresentações da escola sempre era aquela que tinha coragem de interpretar os papéis femininos principais. E já desde aí não parei mais, sempre estive ligada às Artes Cênicas, seja estudando e fazendo cursos, ou mesmo nos palcos de fato.

-Você acha que a maternidade faz a mulher adiar planos pessoais?

De forma nenhuma, afinal, a maternidade é de certa forma também um plano pessoal, algo que sempre quis. Fora isso, existe infelizmente ainda uma ideia equivocada de que a maternidade te inviabiliza de fazer várias coisas e não, maternidade não é doença. 

publicidade

Desde que com acompanhamento de uma boa obstetra não necessariamente existem diversas limitações, mas claro, cada experiência e gravidez é uma. Eu, por exemplo, optei por atuar até os seis meses de gestação do Joaquim (no espetáculo O Divórcio) e foi uma delícia poder viver essa experiência.

-Qual é sua relação com autoestima? Já enfrentou algum problema com isso?

publicidade

Acho que principalmente quando adolescente todos nós temos alguma coisa que pensamos “e se isso ou aquilo fosse diferente”, nós muitas vezes temos referenciais irreais do que víamos num outdoor de campanha de moda, algo que vem mudando com assuntos importantes como diversidade sendo colocado em pauta,  e achamos que tem algo errado com o nosso corpo, por exemplo. Mas hoje eu tenho uma visão muito mais madura sobre o assunto, mas isso é uma construção (ou uma desconstrução dependendo do ponto de vista), aos poucos você entende que se amar e ter boa autoestima está diretamente ligado a não buscar uma perfeição (e afinal qual é o referencial pra essa perfeição?) que sempre será inatingível, afinal, ela não existe.

-Você é sempre elegante e fina. Já desceu do salto em um alguma briga durante a vida?

Ah, muito obrigada pelos elogios! Não sou a pessoa que procura embates. Cada dia é mais claro pra mim que nenhuma discussão sem civilidade e respeito gera algo construtivo, por isso, se eu acho que uma conversa já começa a ir por esse caminho, consigo já identificar e prefiro o afastamento naquele momento da cabeça quente, afinal, é um caminho que não constrói nada. Ideias opostas quando colocadas com civilidade podem nos levar a bons lugares e construir, o contrário disso é improdutivo e eu, aliás, me afasto de tudo que de alguma forma me faz mal.

publicidade

-Como enxerga a sua relação com o pai Zezé? Acredita que ele é um pai coruja?

Maravilhosa. De muito amor, admiração e respeito! É um pai coruja sim e eu também sou uma filha coruja.

Relação com Wanessa

-Você e Wanessa sempre se deram bem? Já rolou algum atrito durante a infância/adolescência?

Sempre fomos melhores amigas, quando eu era pequena eu era mais como sua boneca, seu bebê, e esse zelo eu sinto que ainda existe um pouco como quem diz ‘eu sou a mais velha, escuta a experiência’ (risos), mas hoje, e cada vez mais, cuidamos uma da outra, mas principalmente, somos muito parceiras em tudo. Agora, quem nunca brigou com o irmão porque o outro estragou seu brinquedo ou por ter pego seu chinelo (sempre é por besteira) que atire a primeira pedra. Além de tudo, discordâncias são importantes, desde que com respeito e que o amor prevaleça, que é sempre nosso caso.

-Como você lida com haters nas redes sociais?

Não dando muita importância para quaisquer coisas que tentem nos tirar do eixo e que não tragam nada de construtivo, se vejo que algo é pura maldade, nem respondo, bloqueio. Vejo as redes sociais como uma forma de estar mais perto de quem gosta de mim e conduzo da forma mais natural, orgânica, sincera, e saudável (também pra mim) possível.

-Qual conselho daria para uma mulher que deseja ser mãe?

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Que busque esse seu desejo gerando ou adotando, mas o mais importante, sabendo que á uma doação incondicional de amor,  afeto, carinho, troca e que será necessário muita paciência rs. Educar não é fácil, a maternidade é uma constante adaptação e aprendizado, mas aproveite cada segundo porque cada fase passa rápido e depois fica a saudade.

O que você achou? Siga @entreteoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›