Carol Castro revela situação difícil que motivou famosa tatuagem

Carol Castro abriu o jogo sobre uma famosa tatuagem que carrega em seu corpo e pela primeira vez, revelou o motivo que a levou a fazer o desenho. Ela contou que foi um ato de rebeldia numa época muito difícil.

“Com 12 anos, minha mãe falou: ‘precisamos ir para Bauru, você quer ir comigo ou voltar para o Rio [com o pai]?’. Eu falei: ‘Acho que vou para Bauru’. Só que eu era um E.T. em Bauru. Lá, cidade do interior, se dividia entre os skatistas e os peões, galera de rodeio, que escuta outro tipo de som”, contou em entrevista ao canal de Thais Fersoza no Youtube.

“Acabei indo para a galera do skate, que era meio a minha tribo. E aí tinha um grupo de meninas cuja chefe era a Carol Metanol, toda tatuada. Era uma gangue que queria me bater. Sabiam onde eu morava, faziam ligações, me fecharam uma vez na rua…”, relatou ela.

Carol disse que sofreu muito. Sofri um bullying muito louco. E aí, num ato de rebeldia, eu já estava com 14 anos, eu queria fazer um dragão, que ia das costas até a virilha. Mas eu não tinha dinheiro. Eu já vinha para o Rio trabalhar alguns finais de semana, aí juntei o dinheiro e fiz a minha tatuagem. Foi mais ou menos isso. Tem um porquê, sabe? Não foi do nada”, explicou.

“É a primeira vez que estou abrindo esse assunto tão profundamente. Eu podia ter enveredado por um caminho muito ruim. Mesmo. Entrado para o mundo das drogas. Tinha amigos e conhecidos que cheiravam cola. Eu só quis fazer uma tatuagem. Foi a minha forma de expressar um grito de rebeldia, revelou a atriz.

Carol Castro admitiu que já pensou em apagar a tatuagem (confira o desenho no final desta publicação), mas não conseguiu se decidir. “Eu já pensei, repensei… Ainda tenho esse dilema. E fico também com medo de o resultado piorar. Não que eu não goste da minha tatuagem”, disse.

A atriz ainda contou como o ex-marido, Felipe Prazeres, conheceu seu atual namorado, o ator Bruno Cabrerizo.

“O Felipe ainda guardava a bicicleta dele no meu prédio. Então, a gente estava saindo para trabalhar, foi um dia que o Bruno tinha dormido lá. Eu avisei ao Felipe, e ele disse que depois ia pegar a bike. Aconteceu que o depois dele foram dez minutos. Ele pegou a gente saindo. E aí foi um encontro muito inesperado, tipo de filme”, relatou.

“No final foi ótimo, porque eu fiquei meio sem ação, e o Bruno se adiantou e já foi falando: ‘Oi, prazer, sou o Bruno, você já deve me conhecer, parabéns pela relação que vocês têm. A Nina é uma criança maravilhosa, acho que você e a Carol conseguem ser tão maduros’. E aí quebrou o gelo total. E ali eu até olhei o Bruno com outros olhos. Brilhou ainda mais”, declarou Carol Castro.

Vitor Peccoli
Publicitário, roteirista formado pela Casa Aguinaldo Silva de Artes. Escreve sobre TV e famosos desde 2013 | Contato: [email protected]
Veja mais ›