Claudia Rodrigues tem piora na saúde e corre risco de surto

Claudia Rodrigues corre riscos após interromper tratamento para receber vacina (Foto: Reprodução/Instagram)
Claudia Rodrigues corre riscos após interromper tratamento para receber vacina (Foto: Reprodução/Instagram)

Claudia Rodrigues teve piora em seu estado de saúde. Ela passou a correr “riscos terríveis” após pausar o tratamento contra a esclerose múltipla para receber a vacina contra a covid-19.

A atriz está internada no no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, depois de ter um mal-estar. Empresária da artista, Adriane Bonato foi às redes sociais nesta quinta-feira (15) relatar o drama vivido nos últimos dias.

Pedido de Orações para Claudia Rodrigues, Iza Rodrigues e Adriane Bonato.
Claudia interrompeu o tratamento para tomar a vacina da Pfizer e por demorar 3 meses entre a primeira dose e a segunda, o que deveria ser 3 semanas agora está sofrendo e com riscos terríveis, inclusive de ter um surto de esclerose múltipla”, escreveu ela na legenda da postagem.

Em um vídeo de quase seis minutos, ela desabafou.Nós tivemos que interromper a medicação porque precisávamos tomar a vacina da Pfizer. Ela não poderia tomar a medicação [contra esclerose] no meio [da imunização contra Covid-19], porque a gente não sabe o que pode acontecer ou os efeitos. Pode haver até óbito, disse Adriane.

Devido a espera pela segunda dose da vacina, Claudia tomaria o remédio contra a esclerose somente no fim do ano. “Optamos por tomar a vacina, que era o mais importante, por conta da imunidade baixa dela, do transplante e da própria doença”, explicou a empresária.

O drama de Claudia Rodrigues

“O Ocrevus [remédio para tratar a esclerose] só seria possível dar em dezembro. Pois, a segunda dose [da vacina] só seria no dia 17 de agosto. Teríamos esse intervalo de três meses para ela tomar o Ocrevus para não correr nenhum risco, contou.

“Infelizmente, depois de todos os exames feitos. Alguns resultados nos levaram a ver que ela está tendo um aviso de possível surto por não estar tomando o Ocrevus, que não está mais no corpo dela. A qualquer momento pode acontecer dela ter um surto, revelou.

“Não queremos que isso aconteça. Se acontecer, as consequências podem ser trágicas. Já aconteceu de ter óbito por conta de fazer essa quebra de protocolo [da medicação contra esclerose] e era isso que a gente estava evitando. Ela vai fazer a medicação do Ocrevus para que esse surto não venha a acontecer”, relatou.

Adriane, então, reclamou da gestão da pandemia feita pelo governo, que atrasou a imunização de Claudia Rodrigues. Meu desespero é porque descobri que a vacina da Pfizer pode ser tomada. O protocolo é que ela seja tomada no intervalo de três semanas e não de três meses. Ela é de três semanas a, no máximo, três meses.

Não estou aqui para falar de política. Mas porque não escolheram três semanas? Se tivessem escolhido três semanas, ela já estaria imunizada e não estaria passando por nada disso, disse.

“Ela já teria tomado o Ocrevus, o corpo dela já teria recebido essa medicação, a gente não estaria aqui e ela não estaria correndo risco de morrer por conta da irresponsabilidade e da má gestão [do governo federal]”, declarou a empresária de Claudia Rodrigues.

Vitor Peccoli
Publicitário formado pela Faculdade Pitágoras e roteirista pela Casa Aguinaldo Silva de Artes. Atua no jornalismo de TV e famosos desde 2013.
Veja mais ›