Cleber desabafa sobre estado de Cauan após Covid-19: “pesadelo”

Dupla sertaneja Cleber e Cauan (Reprodução)
Dupla sertaneja Cleber e Cauan (Reprodução)

O cantor Cleber, da dupla sertaneja com Cauan, desabafou nesta última quinta-feira (21), sobre a internação do amigo após sofrer complicações por conta do Covid-19. O artista se disse aterrorizado com a evolução da doença.

Durante entrevista concedida no programa Encontro com Fátima Bernardes, Cleber contou sobre a relação com o Cauan e revelou estar vivendo um pesadelo, ao ver o amigo internado em uma UTI.

“Parece um pesadelo para a gente. O Cauan é muito forte, alto-astral, a alegria da dupla. Acho que ele confiou demais, achou que a doença não fosse evoluir para um quadro tão grave. Quando ele me falou que estava com febre, já estava no terceiro dia de febre e isso me preocupou bastante. Falei: ‘você tem que procurar um médico.’ Mas ele estava tranquilo.”, recordou.

“Acabo tendo uma relação muito maior com o Cauan do que com a minha família. Antes da pandemia a gente se via diariamente. O mais importante é a vida e a gente está torcendo para que o Cauan saia dessa situação.”, falou ainda.

Desde a madrugada da última terça-feira (17), Cauan está internado em uma UTI do Hospital Anis Rassi, em Goiânia. O artista foi transferido de unidade após sofrer uma piora no estado de saúde. Ele respira com ajuda de aparelhos.

Leve melhora

Também em participação no Encontro, Fernando, o irmão de Cauan, afirmou que o artista acabou melhorando nos últimos dias. Mesmo respirando por aparelhos, agora ele está com 65% do pulmão comprometido. Antes estava com 75%.

“O Cauan ainda é um paciente muito grave, depende do oxigenoterapia 24 horas por dia, não consegue ficar nem um minuto sequem sem oxigênio. Até para se alimentar, ele tira a máscara mas tem que colocar o cateter, para que possa comer rapidinho”, disse Fernando, que também é médico.

E acrescentou: “Graças a Deus houve uma discreta melhora, tanto na imagem tomográfica, que apresentava 75% de comprometimento no sábado — na madrugada de terça-feira foi feita uma nova tomografia que apresentou 60 a 65% de comprometimento pulmonar. Os exames de laboratório tem se mantido estáveis, o que já é uma grande conquista”.