Curada de câncer, Fátima Bernardes diz: “parece que não foi comigo”

Fátima Bernardes no Conversa com Bial (Reprodução/TVGlobo)
Fátima Bernardes no Conversa com Bial (Reprodução/TVGlobo)

Depois de passar por um tratamento de câncer, a apresentadora Fátima Bernardes confessou que não se enxerga como uma pessoa que superou a doença. A declaração da famosa ocorreu durante o programa Conversa com Bial.

Prevista para ir ao ar nesta sexta-feira (16), a entrevista mostra Fátima abrindo o coração sobre questões de saúde, vida pessoal e sua mudança da área do jornalismo para o entretenimento da TV Globo.

“Quando eu ouço ‘câncer’, essa palavra, parece que não foi comigo. Veio uma força, uma determinação de que as coisas iam dar certo. E elas deram certo”, afirmou a namorada do deputado federal Túlio Gadelha.

Muito antenada nas novidades, a jornalista ainda comentou sobre sua ligação com os fãs. Fátima confessou que adora compartilhar momentos de sua vida pessoal nas redes sociais e se diverte muito com interação com o público.

“Eu acho que a felicidade contagia, eu acredito nisso. Acredito que o que as pessoas geram de positivo vem para mim e o que elas geram de negativo eu não sei onde fica, mas para mim não vem”, declarou.

Detonou Rodolffo do BBB21

Há algumas semanas Fátima Bernardes deu o que falar durante o programa Encontro ao comentar sobre racismo no BBB21. A famosa debateu uma situação ocorrida com João, após ele ser alvo de uma brincadeira problemática de Rodolffo.

Na ocasião, o cantor sertanejo comparou o cabelo de João com a peruca de “homens das cavernas” do castigo do monstro. O caso foi amplamente divulgado nas redes social e artista sofreu com muitas críticas.

Segundo Fátima, não há justificativa para em 2021 um artista ter um posicionamento tão equivocado sobre o assunto. A jornalista não poupou palavras no seu puxão de orelha no goiano.

“É muito recorrente, né? A Camilla [de Lucas] já falou disso mais de uma vez, o João, a Lumena, várias pessoas falaram disso durante o jogo. Eles ficam cansados. ‘Ah, mas me explica’, ‘me diz quando eu tiver errado’. Só que, para várias outras coisas na nossa vida, a gente não fica pedindo para alguém explicar toda hora. A gente vai atrás, corre atrás de informação”.

“É isso que falta, assumir uma postura de comando sobre o que a gente quer falar, dizer, saber. Se a gente não corre atrás de se informar, vai continuar fazendo tudo errado, esperando que a pessoa tenha a coragem e a disposição de dizer: ‘Olha, você está errado’. Não, somos nós que temos que correr atrás disso. A gente é que tem que estudar, ver o que está fazendo de errado e por quê. Os tempos mudaram”.

 

Veja mais ›