Danielle Winits relembra Paulo Gustavo

A atriz Danielle Winits (Imagem: Reprodução/Instagram)

A atriz Danielle Winits usou as redes sociais para fazer uma homenagem. No Dia do Amigo, comemorado em 20 de julho, a famosa compartilhou um clique em que aparece ao lado do humorista Paulo Gustavo, que faleceu em maio deste ano vítima da Covid-19. Na legenda da postagem, ela se declarou para o eterno amigo.

Hoje, dia do amigo, escolhi simbolizar todos os meus homenageando esse grande parceiro Paulo Gustavo! Sei que onde você estiver, amigo, estará comigo! Obrigada por ser uma luz em meio a escuridão para todos nós! Te amo para sempre! Feliz Dia do Amigo”, disse ela, que recebeu o carinho dos amigos na caixa de comentários.

Veja a publicação de Danielle Winits no Instagram:

Julgamentos

Em dezembro de 2020, o GloboPlay colocou no ar a novela Kubanacan, sucesso que contou com a presença de Danielle Winits em 2003. Naquela ocasião, a famosa foi entrevistada pelo jornal Extra, a artista revelou que foi muito julgada naquela ocasião. Antes mesmo de completar 30 anos, ela explica que sequer tinha posado sem roupa.

“Eu fui muito julgada. Parecia que eu precisava provar algo o tempo todo. Eu me questionava por que eu não podia ser o que eu queria e fazer o que me desse vontade. Como se botar um peito fosse um crime ou aparecer namorando ou separando. Então, me pus nesse lugar. De uma forma bem inteligente, dei às pessoas o que ela esperavam de mim. Por outro lado, construí uma mulher forte, menos ansiosa e que hoje sabe dizer não”.

Maturidade

Winits afirma que não se arrependeu e diz que fez com que tudo valesse a pena. “Eu digo que os 20 e 30 anos são uma tortura. Meu Deus! É uma ansiedade constante, uma cobrança… E eu sempre fui muito cobrada por tudo, aquilo era uma tormenta. Até por posar nua duas vezes fui criticada: ‘Nossa, mas vai posar de novo?’. Sim! Queria ter fotos lindas para guardar, fiz porque eu me senti bem, bonita, confiante, porque a grana era excelente e artista é operário, sim!”, opinou a famosa, que falou na sequência sobre maturidade.

Quando fiz 40 anos foi tão libertador sair desse lugar… Eu já não dava mais a mínima sobre o que falariam de mim, se iriam inventar coisas, me censurar. Me deu um outro drive. O de viver cada dia de uma vez e agradecer por ele, sem querer saber como vai ser o futuro. Não tenho o menor controle sobre isso. Só posso fazer o meu melhor aqui e agora. Não me arrependo de nada até aqui. Prefiro me arrepender do que não fiz”.

Thiago Freitas
Marketing - Centro Universitário de Belo Horizonte. Atua como redator para o nicho de TV e famosos.
Veja mais ›