Danilo Gentili detona Marcius Mellhem após novos relatos

Danilo Gentili (Imagem: Divulgação / SBT)

O apresentador Danilo Gentili usou seu perfil do Twitter nesta sexta-feira (4), para disparar diversas críticas ao comediante e ex-diretor da TV Globo, Marcius Mellhem, que tem sido acusado de cometer crimes contra algumas profissionais da casa.

A postura de Danilo Gentili acontece após a revista Piauí publicar uma longa reportagem mostrando os detalhes da batalha interna travada por Dani Calabresa, sua amiga pessoal, para expor a situação dentro da emissora carioca.

“Conheço toda história mais de ano, qdo @calabresadani me contou. De lá pra cá o que mais teve foi relativização e silêncio de esquerdomacho global defensor do feminismo. Esse é o feministão que disse que eu devo ser preso e que fazia “humor do bem”, disse o humorista em uma de suas postagens.

A reportagem da Piauí ainda revela que Calabresa sofreu mais de uma investida problemática de Mellhem.

“Ela ficou anos falando sozinha, colocou o próprio emprego e carreira na reta enquanto os colegas e até ex faziam em silêncio e relativizavam o assédio. Tudo hipócrita”, disse Danilo em outra publicação.

Quem também prestou solidariedade à Dani Calabresa foi o colega de profissão Fábio Rabin. O artista se mostrou estarrecido com a matéria: “Que bagulho escroto! Li essa matéria ontem a noite e não posso imaginar o que você passou @calabresadani. Triste por não ter estado próximo pra te ajudar. Conta comigo pro que precisar”, escreveu.

Posicionamento do ex-marido

Com a alta repercussão da matéria sobre o escândalo envolvendo Melhem, o comediante Marcelo Adnet comentou sobre o fato de ter sido apontado pela publicação como um dos principais aliados da batalha contra o ex-diretor dentro da TV Globo.

Adnet, que antes havia sido duramente criticado nas redes sociais por se abster no caso, agora foi elogiado por alguns internautas e por colegas da profissão. O artista disse que “fez o mínimo”.

“Um salve também para o Marcelo Adnet por ter liderado um bonde para fazer a cobrança pelo certo. E principalmente por ter aguentado as porradas quando não podia falar publicamente sobre o assunto. Deve ter sido foda segurar a língua quando todo mundo te chamava de passa-pano”, disse Ronald Rios através do Twitter.

Adnet afirmou que tentou manter o sigilo da investigação até onde pode, para proteger as vítimas. “Obrigado. Fiz o mínimo, agi e respeitei totalmente o sigilo que as vítimas pediram. A história é muito pesada e traumática para os envolvidos”, escreveu.