Eliezer analisa passagem pelo BBB e comenta planos na carreira

Ex-BBB 2022, Eliezer do Carmo marcou a última edição do reality com alguns enredos. Na trajetória do profissional de comunicação, ele transou com duas concorrentes, se conectou com Vyni, e chegou longe na disputa mesmo sem ter contado com a sorte nas provas e dinâmicas.

Em conversa exclusiva ao Entretê, o designer que recentemente ganhou um carro avaliado em R$ 200,00 mil reais, desabafou sobre a passagem no programa, e a carreira depois da visibilidade imensa em rede nacional. Ele também comentou sobre a sua maior vaidade, e suas afinidades após a atração de entretenimento.

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

Entretê – O que mudaria em sua participação no BBB 2022? Acha que vacilou em algum momento?

Eliezer – Não mudaria em nada minha participação, pois ela foi exatamente como devia ser. Como fui eu o tempo todo lá dentro, as decisões que tomei e os caminhos que segui, condizem com o que eu era. Coração muito mais que a razão. A única coisa que me arrependo, foi no jogo da discórdia, do dia do balde, em ter puxado a Natália. Me senti muito mal de ter contribuído com aquele dia caótico para a Natália, eu tendo empatia com ela antes mesmo de termos tido alguma coisa. Mas acho que toda essa construção, esses altos e baixos, me levaram onde cheguei. Ao longo do jogo, fui me encontrando. Comecei com um pensamento e terminei com outro. Fui aprendendo a conviver no BBB de acordo com o que ia vivendo lá. Não entrei com uma estratégia. Só fui vivendo.

Entretê – O que pretende fazer agora com a fama depois de um reality com tanta visibilidade?

Eliezer – Agora entendo que virei uma marca, não sou mais o Eliezer. Não me incomoda virar uma marca, mas estou me acostumando com isso, pois é muito novo para mim. Mesmo que eu já tenha trabalhado com essa relação de pessoa/marca. Acho que a coisa mais importante é que você se coloque ali dentro. Por mais que você seja uma marca, um produto, você tem de ter sua alma. Cheguei até a comentar isso, parcerias, propaganda, publicidade tem de ser tudo de acordo com aquilo que acredito e que tenha a ver comigo. Preciso me ver ali. Esses projetos que quero executar. O que estamos planejando para essa nova marca, é justamente o ponto criativo no meio de tudo vou fazer para ter a minha cara. Eu trabalho com isso há muito tempo. Para ter uma ideia, quando estava no programa todo o trabalho feito na rede social foi pela minha empresa, então a parte criativa é toda nossa. Acho que o diferencial, a minha entrega com as marcas que vou me relacionar, é sempre trazer o meu olhar em cima daquele produto, daquela pauta. Querer muito imprimir a minha identidade, minha expressão em cima do produto. Não será um videozinho com minha cara apenas falando do produto. Tenho grandes planos e fazer o que ninguém ou poucas pessoas fazem. Quero colocar minha assinatura, colocar bastante verdade nesse conteúdo. De fato relevante e que traga entretenimento pro público.

Entretê – O que acha da cultura de cancelamento?

Eliezer – Acho que toda vez que você aponta o dedo para alguém e julga, é muito mais sobre você do que sobre alguém. Não apoio a cultura do cancelamento, porque quando as pessoas estão nesse patamar de julgar o outro, elas esquecem que somos seres humanos. Todo mundo erra, todos temos momentos bons e ruins. Ser humano é justamente isso, viver, errar, aprender com o erro e seguir.

Entretê – Você espera viajar com Vyni? Para qual lugar?

Eliezer – Quero apresentar o Brasil inteiro primeiro e levar ele na primeira viagem internacional dele. Tailândia, Ásia… Quero que ele coma gafanhoto, escorpião. Fazer ele comer tudo que ele falou que não comeria no BBB. Mas temos esse projeto, estamos conversando sobre esse projeto. Estou muito animado para ver isso acontecer. Além da questão de trabalho, tem a questão pessoal de estar em contato com o Vyni e viver isso com ele.

Entretê – Entraria no OnlyFans?

Eliezer – Quem vai pagar pra ver isso aqui? Já viram tudo no Big Brother. Então acho que não.

Entretê – Aceitaria entrar no BBB mais uma vez ou optaria por um outro reality?

Eliezer – Aceitaria sim. Faria totalmente diferente, porque agora já tenho a vivência no programa. Inclusive, seria interessante uma edição apenas com ex-participantes, para ver o que que ia acontecer. Mas participaria sim, não agora. Deixa eu viver as coisas aqui fora, porque três meses lá foram bem pesados.

Entretê – Se considera vaidoso? Qual a sua maior vaidade?

Eliezer – Gosto de me sentir bem. Me olhar e me sentir bem. Não sei se isso chega a ser uma vaidade, o que eu tenho muito apego é meu cabelo. Acho que é uma coisa que me marca muito. Mas não ligo tanto, estou começando agora a entender isso, porque antes eu levantava, escovava os dentes e saia. A vaidade está vindo agora com esse novo momento. Estou começando a gostar de me cuidar mais. No programa, tive acesso a vários cremes para tratamento de pele, fiz isso. Nunca tinha passado creme no rosto e gostei do resultado. Me senti bem, acho super importante não só mulheres mas homens também. Acho que faz bem pro ego e para saúde mental.

Entretê – O que seus fãs podem esperar para os próximos meses?

Eliezer – Imagino uma troca muito grande. Por isso quero estar próximo deles. Eles sabem o que esperar de mim e eu quero sempre dar o meu máximo ou o melhor de mim. Ser o melhor que posso ser para essas pessoas que gostam de mim. É o mínimo que posso oferecer para eles, dar tudo de mim, pois sinto que eles dão tudo deles para mim. Esperam que eu seja eu 100% do tempo. Mostrar as viagens, esse lado leve da vida, entretenimento. Essa forma diferente de ver as coisas. Quero sempre agregar com as pessoas. Se for para estar perto, que seja para somar. Todo dia acordo e vejo mensagens deles de carinho, amor, cuidado. Isso é fantástico para mim.

Entretê – Segue falando com todos do elenco? Ou alguém você percebe que dificilmente falará?

Eliezer – Eu não faço parte do grupo do Whatsapp. Acho que as pessoas não gostam muito de mim não. Tenho mais contato são Vyni, Eslô, Rodrigo e Bárbara. O Arthur não temos muito contato, mas já conversamos. A Jade, a Lina. As pessoas que não devo ter tanto contato são o Lucas, porque seguimos caminhos bem distintos e a Natália também, não sei se ela está disponível para amizade, se estiver adoraria, mas acho que ela está em outro momento.

Entretê –Qual a sua relação com a autoestima? Já teve algum problema com isso?

Eliezer – Não gosto de seguir nenhum padrão estético. Não me sinto pressionado pela mídia, aquele padrão para seguir, estar sempre escultural, barriga trincada, pele linda, etc. A forma que eu levo a vida é muito leve, então me olho no espelho podendo estar com 10kg a mais, cabelo bagunçado, espinha na cara, enfim, mas se eu estiver me sentindo bem, isso que importa. Não vou me encaixar num perfil imposto só para satisfazer alguém. Só vou me encaixar em um perfil qualquer, se eu me olhar e sentir a necessidade. Minha relação com auto estima, é sempre sobre quem eu sou e como vivo minha vida. Eu comigo mesmo.

O que você achou? Siga @siteentrete no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Rafael Carvalho
Formado em Jornalismo pela Faculdade das Américas (FAM), já apresentou programa de entretenimento relacionado ao mundo dos famosos e entrevistou artistas do meio.
Veja mais ›