Erika Januza recorda episódios de racismo e faz desabafo

Erika Januza, atriz de 36 anos, tem feito muito sucesso nos últimos anos com suas personagens marcantes em novelas e séries. No entanto, a artista enfrentou alguns desafios para conquistar o reconhecimento que tem hoje. Em entrevista à jornalista Naiara Andrade, do jornal Extra, ela recordou os episódios de racismo que sofreu quando era mais jovem e fez um desabafo sobre o assunto.

“Na minha casa, a gente não conversava sobre as questões da negritude. Éramos negros e ponto. Vivi muitos momentos tristes na escola que não compartilhei com meus pais, coisas cruéis que eu ouvia e estão marcadas em mim até hoje. É muito importante os adultos conversarem com as crianças, estimularem sua autoestima, destacarem seus valores, com o cuidado de não deixá-las crescerem vaidosas demais. Quando eu for mãe, vou enaltecer a beleza do meu filho ou da minha filha, mostrar que a diversidade existe e tem que ser respeitada”, disse ela.

A atriz conta que cresceu recebendo julgamentos, mas apesar disso, acabou se fortalecendo. “A gente não pode deixar que ofensas virem verdades”, afirma Erika.

“Cresci sendo julgada como feia. Eu era a amiga em que as mães confiavam para sair junto com suas filhas porque era quietinha e não chamava atenção dos meninos. Eu era só a neguinha do cabelo duro. Isso me magoava, e eu me fechava ainda mais na minha timidez. Lembro com tristeza, mas também penso: ‘Olha aí, Erika, onde você conseguiu chegar, apesar de’.”, destacou a famosa.

Episódios de racismo no mundo da moda

Além do racismo que sofreu na escola, Erika Januza recorda os episódios de preconceito que vivenciou quando começou no mundo da moda.

“Eu não era uma menina com boa autoestima. Apesar disso, sonhava ser modelo. Quando chegava para algum casting em agência, já me olhavam estranho. Primeiro, porque eu não tinha altura para a profissão. Depois, porque meu cabelo era alisado, não refletia a minha essência. Mas ele me fazia feliz, por me proteger dos comentários maldosos. Levava muitos nãos, mas não desistia”, destaca ela.

Com muito esforço e dedicação, Erika não deixou os julgamentos a abalarem e seguiu em frente, realizando seus sonhos e conquistando seus objetivos.

“Aos 17 anos, comecei a participar de concursos de beleza. Foram muitos! Às vezes, dependia de cupom de jornal. Eu pegava os exemplares para vender na rua só para pedir o cupom que tinha dentro. Ganhei dois concursos, e essas duas vitórias foram debaixo de protestos. Como uma menina negra podia ser a mais bonita? As mães das outras candidatas me xingavam. Teve concurso que eu não ganhei e que os jurados vieram falar pra mim que tinha acontecido alguma coisa errada, porque de acordo com os votos deles seria meu o primeiro lugar”, lembrou.

“Meu momento estava guardado”

Apesar dos obstáculos, hoje a atriz se sente realizada em sua carreira. “Estou muito realizada! Além de virar modelo na ficção (em ‘Verdades secretas 2’), a carreira de atriz me permite fazer muitos trabalhos nessa área.”, afirmou.

“Um sonho foi o caminho para me levar a outro. O mais perto que eu tinha chegado de modelar foi numa loja de roupas em Belo Horizonte em que trabalhei: desfilava com as peças para as clientes verem. Como modelo fotográfico, nunca dei certo, mas não desisti. E foi numa dessas tentativas que me tornei atriz, em ‘Subúrbia’ (série da Globo em que estreou como protagonista, em 2012). Mandei a foto e fui chamada. Meu momento estava guardado”, destacou Erika Januza.

MAIS LIDAS

Henrique Souza
Mineiro, 26 anos, Graduado em Comunicação Social, Redator e Social Media.
Veja mais ›