Evandro Santo, ex-Pânico, relata recuperação após revelar vício em drogas

Evandro Santo comemorou fase sem drogas (Foto: Reprodução/Record)
Evandro Santo comemorou fase sem drogas (Foto: Reprodução/Record)

Depois de confessar vício em drogas, Evandro Santo está em processo de recuperação em uma clínica. Nesta sexta-feira (02), o ex-integrante do Pânico na TV comemorou dois meses sem recaída.

Em seu perfil no Instagram Stories, o humorista celebrou a fase longe das drogas e disse estar limpo. “Dois meses limpos! Dois meses em recuperação”, escreveu ele.

Alguns dias atrás, Evandro explicou em uma postagem na rede social a diferença entre estar “limpo” e recuperado do vício em drogas. A pessoa estar limpa, significado que está sem usar droga, mas que continua faltando com seus compromissos.

“Estar em recuperação é comportamental. Você permanece limpo e o seu comportamento muda. Todo dia eu tenho que me autoanalisar. Você examina seus defeitos de caráter. Quando você está em recuperação, você começa a observar e tentar melhorar esses defeitos de caráter”, explicou.

Evandro Santo passa pela quinta internação

A revelação de que estava em uma batalha contra as drogas partiu do próprio humorista. Em postagem no dia 24 de junho, ele confessou o problema e disse ser adicto, um tipo de pessoa que tem distúrbio cerebral caracterizado pelo envolvimento compulsivo em recompensar estímulos.

“Assumindo o BO. Saindo do armário do meu problemas com drogas. Que este vídeo te ajude a também a lidar com os seus problemas ou sua saúde mental!

É preciso coragem para pedir ajuda, é preciso ser humilde, é preciso quebrar o véu da ignorância que nos cercam. Ser um adicto não é o fim…pode ser o começo de uma vida nova”, escreveu ele na legenda de uma publicação no Instagram.

“Este é o IGTV mais difícil e acho que um dos mais importantes da minha vida. Eu vou começar com uma frase que muitos de vocês talvez não conheçam, mas muito talvez conheçam: eu sou o Evandro, tenho 46 anos e sou um adicto em recuperação. A adicção é uma doença que pode surgir com compulsões e pode evoluir através de sexo, comida, drogas, no meu caso são as drogas”, disse Evandro.

Sinto muito informar a vocês, mas essa doença não escolhe nível intelectual, não escolhe nível social, não escolhe se é bonito ou se é feio. É uma doença, ela está espalhada em todas as classes sociais”, afirmou ele.

“Eu tive uma adolescência bem tranquila, na verdade. Eu estava mais interessado em fazer balé, fazer teatro, pagar minhas contas. Eu já era gay, filho de mãe solteira, mexer com drogas não estava nos meus planos, eu sabia que isso poderia me derrubar a caminho da minha sobrevivência. Eu não fumei maconha, eu não bebi, não cheirei, não usei loló. Todas as minhas loucuras eu fiz de cara limpa”, contou.

O início do vício

Em seu desabafo nas redes sociais, Evandro Santo disse ter tido contato com as drogas pela primeira vez por meio de um amigo ao experimentar ecstasy. Ele ainda explicou que essa é a primeira vez em que se internou por vontade própria.

Estou na quinta internação. Tem uma diferença entre estar limpo e estar em recuperação. Eu posso estar limpo e não estar em recuperação, a minha doença tem a ver com o meu comportamento. Foi nessa quinta internação que eu consegui finalmente falar: ‘Sim, eu sou doente. Sim, eu preciso de ajuda’. Foi a primeira vez que eu me internei voluntariamente, com vontade, e acho que fez toda a diferença”, contou.

Vitor Peccoli
Publicitário formado pela Faculdade Pitágoras e roteirista pela Casa Aguinaldo Silva de Artes. Atua no jornalismo de TV e famosos desde 2013.
Veja mais ›