Fábio Assunção comenta sobre morte de Nicette Bruno e desabafa

Fábio Assunção desabafou na web (Imagem: Reprodução / Instagram)

Fábio Assunção foi mais um dos famosos que usou as redes sociais para refletir sobre as dificuldades e o ano caótico de 2020. Segundo ele, poucas horas antes de saber que a atriz Nicette Bruno faleceu, ele recebeu o baque de duas perdas de pessoas queridas em sua vida.

“Ontem eu estava no Cemitério da Penitência de Caju, velando e cremando uma mulher extraordinária que considero minha avó querida. Ontem também, um dos meus melhores amigos da vida venceu após quase um mês de hospital e teve alta. Hoje essa notícia avassaladora da Nicete. Como eu sempre respeitei muito essa família!”, começou ele, que continuou.

“Paulo, Beth, Bárbara e o Paulo Goulart Filho, venho aqui prestar minha homenagem a esta grande mulher, personalidade, atriz. Sempre com um sorriso enorme, afetiva, amorosa, doce. Paulo Goulart também era assim, gentil e forte. Beth, uma das melhores atrizes deste país. Minha solidariedade a todas e todos os brasileiros que estão perdendo seus familiares. Pegamos também aqui em casa, eu e Verena, COVID, em novembro e conseguimos vencer. Mas sei que muitos não conseguem. Vamos respeitar essa dor coletiva. Não passe a se importar apenas quando a doença chegar perto de você ou dos ‘seus’”, disse o galã.

Por fim, em um tom de despedida, o ator afirmou que o legado e a missão de Nicette foi cumprida aqui na terra. “Cidadania é um ato de amor e generosidade. 🤍⚪️ Nicete, nos conhecemos numa palestra sobre família. Estava sua família e eu e me senti muito amado por vocês. Receba este amor de volta. Seu legado está eternizado”, afirmou ele.

Política

Na última semana o muso relatou por meio de uma live no Instagram que, se identifica com o lado esquerdista da política do Brasil.

“Politicamente, eu me posiciono da seguinte forma: sou voltado para o coletivo. Então, me posiciono à esquerda. Me posiciono ao lado de governos solidários. O Brasil tem uma diversidade que deve ser valorizada, respeitada. Não sou um cara que prioriza o mercado. Sou um cara que não pensa tanto na economia do país, pensa na população”, disse ele que, opinou sobre a capital de São Paulo.

“São Paulo é muito consumista. O mundo é muito consumista. Essa parada que o mundo deu fez com que eu mudasse minha relação com o consumo. Já vejo que preciso apenas de uns 10% do que eu achava que precisava”, finalizou Assunção.

Confira:

Veja mais ›