Gabriel Stauffer revela como entrou em Pantanal e afirma: “Privilégio”

Gabriel Stauffer esteve na primeira fase de Pantanal (Foto: Divulgação/TV Globo)

O ator Gabriel Stauffer se destacou em Pantanal, que está no ar na Globo, com o personagem Gustavo na primeira fase da trama. Antes disso, ele trabalhou em trabalhos de sucessos, como A Força do Querer, onde viveu Cláudio, e De Volta aos 15, na Netflix, com o personagem Joel. 

Formado em Publicidade e Propaganda pela PUC do Rio de Janeiro, ele nasceu em Curitiba e desde então, vem se consolidando cada vez mais na carreira de ator.

Em conversa exclusiva com o Entretê, o ator de 33 anos desabafou sobre o seu amor pela arte, comentou sobre o personagem em Pantanal, momentos importantes nas gravações da trama, e ainda comentou sobre a sua visão política em meio ao atual governo.

Confira:

Entretê- Como surgiu o seu amor pela arte?

Gabriel Stauffer: Eu comecei ao lado da Publicidade e trabalhava como redator. Mas depois que um cara que me chamou para ser modelo, fui ao Rio de Janeiro, e comecei a estudar teatro. Me apaixonei em 2010 por isso, e foi lá que decidi ser ator.

Entretê- Gostou da repercussão da primeira fase de Pantanal?

Demais. Acho que toda a equipe estava muito unida, rolou uma amizade, uma delícia de trabalhar. Isso refletiu nas cenas, foi algo que me deixou feliz, com a galera falando. Ficou com um gostinho de quero mais.

Teste para Pantanal

Entretê- Como foi o teste para viver Gustavo?

Foi um convite da diretora de elenco, ela me explicou sobre o personagem. Fiz um teste em casa, depois ela me ligou e falou que o resultado deu mais do que certo, fiquei feliz demais.

Entretê- Gustavo foi o seu personagem mais maduro?

Sim, eu acho que a cada trabalho a gente vai amadurecendo mais, vamos pegando as coisas, aprendendo cada vez mais. Cada uma dessas novelas me ensinou muita coisa. Me vejo mais maduro em diversos quesitos.

Entretê- Qual momento você nunca vai esquecer das gravações de Pantanal?

Tem muitos momentos assim. Cada dia era um momento maravilhoso. As primeiras cenas, que gravei no final da tarde, vendo o sol indo embora, foi algo que gravou em mim. Trabalhar em um lugar lindo daquele foi um grande privilégio.

Entretê- Quais personagens sente vontade de fazer?

Nossa, adoro personagens que me tiram da zona de conforto. Quero muito conseguir se aproximar de mim, o trabalho do ator é esse, e quanto mais diferente de mim acho mais gostoso e desafiador. É algo que eu quero cada vez mais. É um tesão que dá no ator.

Entretê- Você acredita que atual governo esteja ao lado da arte, facilitando o trabalho dos atores e atrizes?

Não, esse governo só dificulta a nossa vida. Um plano de destruição mesmo, estamos regredindo. Tem sido um momento difícil, os artistas apanham um pouco, mas fazer arte também é resistir e eu vejo como esperança as eleições desse ano. Do jeito que está tudo está muito difícil.

Entretê- O que Pantanal representou em sua vida?

Primeiro eu senti muita gratidão, muitas pessoas queriam participar desse feito grandioso. Contar um pouco dessa história foi algo gostoso, e para minha carreira somou muito. As pessoas precisavam dessa novela para dar uma respirada.