Geraldo Luís relata sequela do coronavírus e desabafa

Geraldo Luís desabafou sobre sequelas (Foto: Reprodução)

Após quase um mês dentro de um hospital depois de ser infectado pelo coronavírus, o apresentador Geraldo Luís que está se recuperando em sua casa, desabafou sobre uma sequela da doença.

De acordo com ele, o seu paladar ainda não voltou, mas apesar disso, se mantém confiante e acreditando em sua recuperação. Pelos stories, ele comentou tudo isso.

“Bom dia, vida! O paladar do café ainda não sinto, mas sinto um prazer enorme em viver e poder engolir. Devagar tudo voltará. Aprenda a respeitar o tempo das coisas”, começou.

Em seguida, o contratado da TV Record revelou aos fãs que as sessões de fisioterapia são bastante intensas para que todos os seus movimentos do corpo sejam recuperados.

“O poder de viver, voltar a respirar sem oxigênio. A graça de voltar e viver o que vivo. A Covid entrou aqui, deixou sequelas, mas foi embora. Sou mais um milagre dos céus, que a mim concedeu mais um tempo de vida. Só quem teve sabe. Desmamar do oxigênio ainda custa, andar bem e tantas coisas. Mas isso agora é só detalhe… Deus seja louvado. Seguimos. Valorizem o ar, ele é de graça pra todos, todos os dias. Até que esse vírus chegue em você. Aí, só ar de tubo. Bom dia vida. Eu sobrevivi”, refletiu ele.

Desabafo

Durante os 22 dias internado, Geraldo Luís revelou ter sentido a falta de muita coisa, inclusive, das mais simples. Em um outro desabafo, ele demonstrou gratidão pela sua alta.

“Aqui está! Eu que amo tanto a vida! Coisas simples e ricas como ouvir silêncio, fotografar a vida e o sol, fiquei sem ver há três semanas. No quarto da UTI graças a Deus tinha uma janela…já era o bastante. Lá o tempo é outro, perdemos ele, nada mais importa exceto voltar a viver. Dedico esse por do sol a vocês que oraram por mim. Quanto a Deus, tenho com ele agora uma Obra maior, ele irá me dizer qual”, iniciou o comunicador.

Ao concluir, ele afirmou que se sente privilegiado em vencer o coronavírus que já matou mais de 330 mil pessoas no Brasil. “Sou um sobrevivente desta doença que engole o corpo, definha pulmões, seca os pensamentos. Minha mente positiva foi que me manteve estável e lúcido. Não entrei em desespero, usei minha fé e amor a Jesus. Ele esteve comigo…Só quem passa sabe . Só quem quem teve sabe”, finalizou ele.

Confira:

Veja mais ›