Gil do Vigor descobriu problema de saúde antes de entrar no BBB

Em clima de nostalgia em meio as novidades do Big Brother Brasil 22, Gil do Vigor confessou que por pouco não fica de fora de sua edição. O economista contou que chegou a testar positivo dias antes de ser confirmado pela produção.

Em entrevista concedida ao jornal Extra, Gil disse que não apenas o COVID-19 foi algo que o preocupou, como também quase ficou de fora do PHD. Isso porque ele estava sem dinheiro para fazer testagem e se inscrever para a prova acadêmica.

“Já tinha feito as entrevistas e esperava. Mas tinha muita convicção de que ia entrar. Só que não tinha dinheiro pra nada. E precisei pegar dinheiro com meu orientador da faculdade para pagar minha inscrição na prova do PHD e para o teste de Covid que a produção me pediu. E eu com medo danado de não me reembolsarem. Aí, eu estava lascado!”, recordou.

O contratado da TV Globo disse que, apesar de ter ficado muito confiante de sua entrada, ele só acreditou mesmo na possibilidade após receber um ok da produção do programa em sua casa.

“Eles disseram que vinham aqui em casa gravar, mas que não podia estar ninguém. Eu fiquei assim, me tremia. E quando chegaram me disseram que eu estava no programa e já tinha que arrumar as coisas e ir. Mas minha malinha estava arrumada há muito tempo. Eu tinha a certeza”, disse.

Gil deu aula financeira no Altas Horas

Na última semana Gil do Vigor chamou atenção ao usar seu conhecimento em economia para fazer uma discurso sobre os problemas econômicos enfrentados pelo Brasil nos últimos anos. O pernambucano fez questão de afirmar o quanto o governo de Jair Bolsonaro não tem investido em projetos para mudar a situação do país.

“Aprendi que há muitas variáveis que afetam os preços, que é a inflação. A inflação é o quê? O preço do cuscuz, o preço do arroz. Não é só taxa de juros”, disse ele, que criticou o presidente Jair Bolsonaro na sequência. “O discurso de um presidente vai gerar inflação. Se um presidente fala algo errado, nós temos investidores que estão de olho no Brasil“, afirmou Gil, sem citar oficialmente o nome do governante.

Seguindo com seu PHD na universidade de Davis, na Califórnia, Gil aproveitou a chance para falar um pouco mais sobre a inflação. “Tem várias coisas que podem acontecer dentro de um país que vai afetar a inflação. Se os investimentos param de entrar no Brasil, isso vai gerar inflação“, disse ele, que afirmou ser questionado por colegas do doutorado a respeito da atual situação de seu país.

 

Surenã Dias
Formado em jornalismo pela UNIME Salvador, possui passagem por rádio, jornal e trabalha com público de internet desde 2016. Atualmente tem focado em projetos de audiovisual, cultura pop e celebridades.
Veja mais ›