Globo cobra até R$ 26 milhões para aparecer em programa de Ivete

Ivete Sangalo no comando do The Masked Singer; reality promete alto faturamento (Foto: Reprodução/TV Globo)
Ivete Sangalo no comando do The Masked Singer; reality promete alto faturamento (Foto: Reprodução/TV Globo)

A Globo já definiu a estreia da nova temporada do The Masked Singer Brasil para janeiro. Mas a marca que desejar aparecer como patrocinador do programa de Ivete Sangalo vai pagar caro. Os valores estão entre R$ 8 milhões e R$ 26 milhões.

Conforme antecipado no mês passado, a 2ª temporada do reality de mascarados estreará no final de janeiro, ocupando o lugar do futebol nas tardes de domingo. Com isso, Ivete fará uma dobradinha com Luciano Huck.

A Globo já disponibilizou no mercado há algumas semanas o plano comercial da nova edição da atração e o Entretê teve acesso aos valores. A emissora ofertou seis cotas de patrocínio distribuídas em três formatos, que vão do básico ao premium.

Os valores para aparecer no The Masked Singer

A mais em conta é a cota Super Fã, que está saindo por R$ 8.258.293,33. Deste montante, R$ 5.483.800,00 é apenas o custo para o patrocínio na TV aberta. O restante é dividido entre Multishow (R$ 979.460,00), Gshow (R$ 612.533,33) e redes sociais (R$ 1.182.500,00).

A Vip é a cota intermediária, com um investimento total de R$ 19.926.611,00. Deste valor, R$ 15.581.820,00 é somente para o patrocínio do programa na Globo. A outra parte é dividida entre Multishow (R$ 2.180.291,00), Gshow (R$ 652.000,00) e redes sociais (R$ 1.512.500,00).

A cota mais cara é a Anfitrião, em que o preço total cobrado é de R$ 25.692.661,00. Deste montante, R$ 20.221.970,00 é apenas o custo do patrocínio na TV aberta. O restante fica entre Multishow (R$ 2.818.191,00), Gshow (R$ 790.000,00) e redes sociais (R$ 1.862.500,00).

Alto faturamento com o reality de Ivete Sangalo

Quanto mais dinheiro desembolsar, mais privilégios o anunciante terá no The Masked Singer Brasil. A cota de patrocínio mais cara, por exemplo, dá o direito da marca aparecer em flashes do reality, ter um squeeze (inserção de propaganda na tela) no encerramento do programa, além de participar da divulgação dos jurados.

Além disso, a empresa que pagar pela cota mais cara terá direito a break exclusivo, break primeiríssima posição, chamada customizada e ações de conteúdo.

Se vender todas as seis cotas que disponibilizou no mercado publicitário, a Globo vai faturar quase R$ 108 milhões somente com patrocínio. Isso sem contar os anunciantes nos breaks e ações de merchandising.

Sucesso de audiência, repercussão e faturamento na 1ª temporada, o The Masked Singer Brasil vai ocupar o lugar do futebol nas tardes de domingo no início de 2022. Sem os direitos de transmissão dos principais campeonatos estaduais, a Globo recorreu ao programa de Ivete Sangalo para alavancar audiência e faturamento nas tardes de domingo.