Globo tomará atitude séria contra funcionários que recusarem vacina

Visando garantir a segurança de todos os seus colaboradores em meio à pandemia da Covid-19, que ainda é uma triste realidade no Brasil, a Globo resolveu criar novas diretrizes da empresa, envolvendo uma atitude muito séria contra os funcionários que recusarem vacina.

De acordo com o site Notícias da TV, a emissora irá demitir os funcionários que se recusarem a tomar as doses recomendadas do imunizante contra a doença. O comunicado, segundo o portal, foi enviado aos chefes de todos os segmentos, na tarde desta quarta-feira (1º).

“Seguindo o compromisso de contribuir para um ambiente seguro para nossas pessoas, informamos que a vacinação contra a Covid-19 passa a ser uma condição obrigatória para todos os colaboradores trabalharem na Globo. Incluindo estagiários e jovens aprendizes.”, informou um trecho da nota.

O comunicado abre exceção apenas para pessoas que não podem ser vacinados por conta de motivos médicos. Nesses casos, a não vacinação não resultará no desligamento do funcionário.

Com o objetivo de verificar se a pessoa realmente se vacinou, a Globo criou um canal de comunicação interno. Nele, o funcionário deverá enviar os comprovantes de vacinação.

“Todos devem enviar o comprovante de qualquer dose recebida. (Seja apenas da primeira, das duas doses ou da dose única) até o dia 10/9.”, continuou o comunicado, contendo o e-mail para onde os colaboradores devem enviar os documentos.

Confira a mensagem na íntegra:

“Em mais de um ano de pandemia, temos aprendido a cada dia sobre formas de prevenção e combate à Covid-19. E este é um aprendizado contínuo. A partir dele, podemos dizer que a aplicação das vacinas é uma estratégia eficaz contra a disseminação do vírus. E uma forte aliada para proteção de todos.

Seguindo o compromisso de contribuir para um ambiente seguro para nossas pessoas, informamos que a vacinação contra a Covid-19 passa a ser uma condição obrigatória para todos os colaboradores trabalharem na Globo. Incluindo estagiários e jovens aprendizes. Com exceção daqueles que não podem ser vacinados por motivos médicos, a não vacinação poderá resultar no desligamento.

A obrigatoriedade da vacina está em linha com a prática de diversas empresas no mercado atualmente. Uma vez que a decisão por não se vacinar impacta o coletivo. E coloca em risco a saúde dos outros colaboradores.

As lideranças passarão a receber um relatório de Recursos Humanos com o status dos comprovantes de vacinação dos profissionais do seu time. É muito importante que você acompanhe e incentive sua equipe a enviar os comprovantes. Se houver recusas, o gestor deverá conversar com o seu parceiro de Recursos Humanos para sensibilização do colaborador sobre o tema, condução e tratativas destes casos.”, informou a nota.

Henrique Souza
Mineiro, 26 anos, Graduado em Comunicação Social, Redator e Social Media.
Veja mais ›