Irmã de Gil diz que foi vítima de violência domestica

Gil do Vigor e a irmã, Janielly Nogueira
Gil do Vigor e a irmã, Janielly Nogueira (Foto: Reprodução/Instagram)

Janielly Nogueira, irmã de Gil do Vigor, revelou que já foi vítima de agressões de seu ex-companheiro durante o período que estavam juntos. A declaração da influenciadora foi motivada após a repercussão do caso de violência doméstica evolvendo o DJ Ivis.

Através do Instagram, a pernambucana desabafou com os seguidores sobre a dificuldade que muitas mulheres enfrentam para denunciar esse tipo de relação. Ela pediu que as pessoas não julguem as vítimas, caso saibam de algum caso parecido.

“É muito difícil denunciar. Só quem viveu e quem vive um relacionamento desses, completamente abusivo, é quem passa. Então, não julga. Eles fazem a gente acreditar que é doida e errada”, afirmou.

“Eu vivi um relacionamento abusivo no qual eu fui agredida também. E pra gente ter coragem de falar para uma família que a gente está sendo agredida dentro de casa, é muito difícil”, continuou.

Janielly ainda contou que até mesmo os vizinhos eram testemunhas das agressões que ela sofria. A influenciadora apontou que Pamella Holanda, esposa de Ivis, estaria sendo muito corajosa em expor algo tão íntimo.

“Ela olhava pra mim e dizia ‘você está sofrendo’. E eu dizia, ‘não, eu tô feliz’. Mas eu sabia o que eu passava. Os vizinhos sabiam o que eu passava. Eu apanhava. Hoje quando eu vejo uma mulher expondo o que vive pra outras mulheres, isso é muito forte. Ela tá sendo muito corajosa, porque não é fácil. A gente tem vergonha de mostrar que não está feliz, que está sendo agredida”.

Vítima de racismo

Muito ativa nas redes sociais, recentemente Janielly deu o que falar após publicar um relato sobre racismo. A moça afirmou que foi vítima de racismo ao frequentar um shopping de São Paulo.

Na época, a influenciadora disse que foi até uma loja para comprar uma bolsa, mas foi completamente ignorada pela vendedora, que a todo momento, se dirigiu apenas à assessora de sua mãe.

“Passei por um constrangimento tão grande. Passei por uma loja para comprar uma bolsa, uma loja meio cara. Estava eu e a assessora da minha mãe, que por sinal é galega, branquinha (…) E a vendedora não falou comigo, não me deu atenção. Pediu um cadastro só para a assessora da minha mãe, por ser branca e eu preta. Fico impressionada como as pessoas ainda têm essa visão, de cores. Está doendo”, contou Janielly através do Instagram Stories.

A irmã de Gilberto continuou o desabafo afirmando que nunca passou por algo parecido antes. “Na verdade, eu nunca tinha vivido isso de frente. Nunca tinha vivido esse tipo de preconceito e hoje eu me deparei. E estou muito triste, porque as pessoas (pausa)… Não sei nem o que falar, estou muito magoada. Minha vontade na hora era dar um baile na vendedora”, continuou.

 

Surenã Dias
Formado em jornalismo pela UNIME Salvador, possui passagem por rádio, jornal e trabalha com público de internet desde 2016. Atualmente tem focado em projetos de audiovisual, cultura pop e celebridades.
Veja mais ›