Irmã de Rafael Miguel conta como se sente após prisão de Cupertino

Camila Miguel, irmã do ator Rafael Miguel, que foi morto em 2019, juntamente com os pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, usou suas redes sociais nesta segunda-feira (16), para fazer um desabafo e contar como está se sentindo após a prisão de Paulo Cupertino Matias, acusado pelo assassinato de sua família.

Através do Instagram Stories, Camila disse que muitas pessoas estavam enviando mensagens para saber como ela está diante dessa situação. “Estou sendo inundada de mensagens por aqui de muitos que há muito tempo se revoltam pela situação que destruiu nossa família. Destruiu nossos laços, segurança, confiança. Uma destruição para muito além da morte em si. Quero agradecer as mensagens. Principalmente por carregarem entusiasmo e alívio, e tentarem, pelo menos um pouco, transmitir isso para mim”, iniciou ela.

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

“Porque eu não sinto isso, não sinto alívio, alegria, nada. Justiça está longe de ser feita, e mal sei o que vai acontecer daqui pra frente. Não crio expectativas, porque passei 3 anos me frustrando e tendo quase nenhuma notícia de nada. Um vazio de sentimentos que não pende pra nenhum lado. No máximo sinto a eterna ansiedade e taquicardia de revisitar memórias e ver imagens que eu não gosto de ver”, continuou a jovem.

“Merecemos seguir e sermos felizes”

Camila Miguel destacou que tem evitado focar sua vida naquilo que lhe faz mal e vem priorizando cuidar da família que ela construiu.

“Estou em um dia bom, seguindo a estratégia que eu, junto do meu marido, me propus a seguir. Muita coisa já foi destruída com isso, o que me resta eu vou fortalecer ao máximo. Eu quero ir longe, conquistar tudo o que eu quiser e puder para trazer conforto e segurança pros meus filhos e minha irmã enquanto ela precisar e quiser suporte. Quero ser eu, dançar, cantar, ir no show da banda que eu amo bem feliz, trabalhar. Aliás, eu acabei de desligar meu computador, agora que fui respirar e entender o que aconteceu”, destacou.

Por fim, ela acrescentou: “Eu não quero ficar pensando nos outros. Ainda mais quando o outro é ruim, destruidor, e não tem nenhuma ligação comigo. Eu quero proteger e levar minha família longe. Deixar ela viver sem definir quem somos e quem seremos pela crueldade do outro. E sim nos definir pelo legado que meus pais e meu irmão deixaram pelos anos que convivemos juntos.”, afirmou.

“É o que eu julgo que merecemos, seguir e sermos felizes e ficarmos em segurança novamente, obrigada pelas mensagens. E fiquem agora com a volta da nossa programação “normal” de um cotidiano normal de uma família cheia de amor. Porque onde destruíram, brotou uma muda que cresce a cada dia: a das nossas vidas.”, finalizou a irmã de Rafael Miguel.

O que você achou? Siga @siteentrete no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Henrique Souza
Mineiro, 26 anos, Graduado em Comunicação Social, Redator e Social Media.
Veja mais ›