João Luiz faz duro relato sobre homofobia

Ex-BBB João Luiz Pedrosa (Foto: Reprodução)
João Luiz desabafou sobre homofobia (Foto: Reprodução)

João Luiz, do BBB 21, conversou com a revista Quem sobre homofobia, e disse que mesmo após somar milhões de seguidores nas redes sociais, presencia e visualiza o preconceito de algumas pessoas com a sua sexualidade.

“Infelizmente, continua da mesma forma. Continuamos sofrendo ataques diretos na internet e fora dela. Isso sempre foi muito comum e presente nas nossas vidas. Nem sempre é explícito, mas sempre fomos alvos de olhares reprovadores quando estamos juntos”, disse ele.

Na sequência, o rapaz ainda falou sobre o seu relacionamento com o namorado Igor. “Nos conhecemos em um evento estudantil em 2016. Me encantei pela simpatia e boa energia que ele emana. O BBB só nos aproximou. Reforçou nossa parceria e cumplicidade. Igor é incrível! Tenho vontade futuramente. Por enquanto o foco é outro“, falou.

Filtros

Nas últimas semanas, João Luiz reclamou de filtros do Instagram, que segundo ele, mudam a tonalidade da pele negra. Além disso, o bonitão pediu para que seus fãs conferissem e tirassem suas conclusões.

“Eu fiz um post ontem sobre filtros do Insta que afinam os traços das pessoas pretas e vocês não têm noção do tanto de gente que veio me falar que é exagero, mimimi, além dos inúmeros comentários no meu direct. Às vezes eu acho que vocês só querem justificativa pra destilar racismo mesmo. “Dá uma passadinha no meu inbox pra você ver… Agora me responde… E falei alguma mentira? Pelo amor de Deus”, disse.

Sexualidade

Em outra pauta com a revista Quem, o influenciador comentou sobre a sexualidade. Na ocasião, ele contou ter revelado ser gay aos 14 anos de idade em conversa com a família.

“Quando você é LGBTQIA+, você vê um questionamento que vem das pessoas para você. ‘Nossa, mas você tem certeza? É isso mesmo?’. É como se a gente fosse sempre uma interrogação. E na verdade, a gente é um ponto de exclamação. Eu me assumi muito cedo, com 14 anos, a minha família toda já sabia que eu era gay. E para a minha mãe, dentro da minha casa, a minha orientação sexual nunca foi um problema. Isso é muito doido, porque às vezes, em alguns momentos, eu fico pensando ‘cara, eu tenho uma família privilegiada’. Mas é ruim a gente ter que entender que isso é um privilégio, né?”, refletiu.

Ao concluir, ele pontuou momentos difíceis por causa da sexualidade. “A dificuldade que eu enfrentava, era a dificuldade da escola, na rua. Então, quando eu chegava em casa, com toda aquela carga que eu recebia todos os dias na escola, eu tinha o meu pai e a minha mãe me apoiando e me acolhendo”, revelou.

Rafael Carvalho
Formado em Jornalismo pela Faculdade das Américas (FAM), já apresentou programa de entretenimento relacionado ao mundo dos famosos e entrevistou artistas do meio.
Veja mais ›