Juju Salimeni relembra ensaio fotográfico encantador

publicidade

Juju Salimeni é aquela artista que não deixa de conquistar bons elogios nas redes sociais. Para atiçar a imaginação dos internautas, a famosa dividiu cliques que enfatizaram ainda mais a sua marquinha atualizada de verão.

Em um ensaio fotográfico, a famosa que já trabalhou como panicat ao longo da carreira, provocou muito ao mostrar toda a abundância de sua beleza natural. “Tbt desse ensaio que é um dos meus preferidos da vida”, disse na legenda.

publicidade

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

“É uma coisa de louco, não tem como a gente não se apaixonar por ela, eu amo tanto”, falou um rapaz. “A bicha nasceu para ser perfeita mesmo”, destacou o segundo. “Um espetáculo de beleza ao vivo e a cores”, comentou mais um.

Conversou com os fãs

Com mais de dez milhões de seguidores em uma única rede social, Juju Salimeni recentemente respondeu a dúvida de um internauta, que desejou saber sobre a forma que a beldade se comportava quando estava em depressão, ao lado de muitas pessoas em grandes eventos.

“Uma coisa que ninguém sabe: por causa da síndrome do pânico eu sempre fico ultranervosa na chegada de um evento e até durante. Tenho taquicardia, suor frio, várias sensações, mas sei lidar e ninguém percebe“, falou ela, que em seguida desabafou sobre ter sofrido intolerância religiosa.

“Fui exposta nacionalmente com acusações e falas preconceituosas de uma pessoa famosa. Naquela época não era crime e a pessoa ficou impune, mas entrei com processo e a pessoa ficou impedida de falar meu nome. Minha saúde mental foi seriamente afetada e a partir daí, comecei a ter síndrome do pânico. Precisei de tratamento psiquiátrico para ficar bem. Naquela época intolerância religiosa não era crime e a pessoa ficou impune. Mas eu entrei com processo e a pessoa fico impedida de falar meu nome”, destacou a estrela fitness.

Início de tudo

Hoje com um corpo todo definido, Juju Salimeni contou nas redes sociais sobre o seu início com os treinos. Segundo ela, houve uma imensa sorte de ter sido acompanhada por bons profissionais.

publicidade

“Comecei a treinar com 16 anos de idade. Com o tempo fui ganhando experiência e conhecendo profissionais que me auxiliaram para chegar ao meu objetivo. […] Quando decidi mudar meu corpo eu ainda estava na escola, era eleita a mulher mais feia todo mês e sofria bullying diariamente. Meus pais não tinham condições de pagar por uma boa academia então encontrei uma onde a mensalidade era 15 reais, simples, aparelhos antigos, enferrujados e nenhuma mulher. Praticamente não existiam mulheres na academia”, contou.

Confira:

publicidade

O que você achou? Siga @entreteoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›