Juliana Paes abre o jogo sobre Carla Diaz no BBB 21

Juliana Paes
Juliana Paes opinou sobre Carla Diaz no BBB 21 (Foto: Reprodução/Instagram)

Juliana Paes participou do programa ‘Encontro’, na manhã dessa quinta-feira (25), e entrou na pauta do BBB 21. Sem papas na língua, a beldade comentou sobre a participação da colega de cena Carla Diaz que, atualmente vive um romance com o crossfiteito Arthur Picoli dentro do reality.

Na visão da global, o programa é uma realidade para as suas próximas personagens dentro da emissora carioca. “Para mim o BBB é matéria-prima para futuros personagens”, argumentou ela.

Sobre o jogo de Carla dentro do confinamento, a artista lamentou o envolvimento amoroso dela com outro participante. Na visão dela, a loira está refém de Arthur e fica receosa de conviver de maneira intensa com outros brothers.

“Carla é uma menina doce, tranquila, exatamente o que vemos no BBB. Mas acho que ela está muito grudada no Arthur, meio refém dele, o que pode prejudicá-la no jogo. Arthur tem tido um comportamento chato quando implica que ela se relacione com os participantes que votaram nele”, argumentou ela.

Opinião sobre João

Após a prova do líder na última quarta-feira (24), Juliana argumentou que gostou de conferir a vitória do professor de Geografia, João Luiz. Segundo ela, o rapaz é uma pessoa com bons posicionamentos dentro da casa.

“João sabe ouvir, perceber os outros, tem um tom conciliador. Gosto desse jeito dele. Eu fico me colocando no lugar dos participantes, não imagino como seria o meu comportamento dentro da casa”, opinou ela.

Ao concluir o assunto, a gata afirmou que não considera o atual líder como planta, já que ele sabe falar e agir na hora certa.

“Eu não vejo como planta (…). Ele é observador, às vezes essas figuras que são menos lacradores, que gritam menos, acabam passando como uma planta. Será que esse não é um comportamento mais bacana? Ouvir mais, perceber mais, do que falar o tempo todo?”, finalizou ela.

Coronavírus

Juliana Paes foi mais uma das famosas que não escapou e foi infectada pelo coronavírus. Em conversa com o jornalista Pedro Bial, ela afirmou que foi sentir os sintomas da doença apenas no segundo dia do diagnóstico.

“Eu fui diagnosticada há nove dias e só fui sentir os primeiros sintomas leves dois dias depois do diagnóstico. Esse vírus é muito maluco, muito doido. Eu comecei primeiro a sentir uma pressão na cabeça, depois começou a doer o fundo dos olhos e tive dois dias de muita dor de cabeça. E sem sentir o gosto e o cheiro de nada”, contou ela.

Veja mais ›