Vereadora chama Ludmilla de “maconheira” e artista rebate crítica

A cantora Ludmilla (Imagem: Reprodução)

A cantora Ludmilla se pronunciou sobre o ataque que sofreu da vereadora Eliza Virgínia, do PP da Paraíba, que chamou ela de “criminosa” e “maconheira” durante uma sessão da Câmara Municipal de João Pessoa.

Durante um vídeo que circula nas redes sociais, a vereadora afirma que Ludmilla deve ser presa por apologia às drogas, por conta do clipe da música Verdinha, lançada no último ano.

Através de seu perfil do Twitter, a artista afirmou que não acredita que “maconheira” seja uma ofensa, mas pontuou que o uso indevido de imagem pode gerar processo, já que a vereadora usou parte de seu clipe no vídeo.

“Ué gente! Desde quando chamar alguém de maconheiro é xingamento? O que eu tenho certeza é que usar a imagem indevida de outras pessoas dá processo. Olha que dá, heinn”, escreveu.

A fala da vereadora contra a funkeira aconteceu durante uma discussão sobre o auxílio emergencial para profissionais da cultura. “Eu espero que esse auxílio seja destinado a verdadeiros artistas, e não por exemplo para artistas que ficam nus nos museus, não por exemplo para artistas que fumam maconha, como a maconheira da Ludmilla”, disse ela.

Em seu perfil do Instagram, a Eliza Virgínia, que está se candidatando para reeleição, compartilhou o vídeo com a imagem da cantora e disparou: “Ludmilla, a sua máscara que vai cair”. Na legenda ela disse: “Induzir alguém ou fazer apologia ao uso de drogas é crime”.

https://www.instagram.com/tv/CGDAkOPDHd3/?utm_source=ig_embed

Esporte

No último mês Ludmilla surpreendeu os seguidores do Instagram ao falar sobre sua paixão pelo futebol. A cantora revelou que quase se tornou uma jogadora profissional do time Fluminense.

Conforme a artista, ela apenas desistiu porque não estava preparada para ficar longe da mãe. “Eu levei a minha mãe no centro de treinamento e apresentei todos os meus documentos, tudo formalmente. Mas depois eu descobri que teria que dormir no alojamento porque era longe da minha casa. Coisa profissional mesmo”, contou