Luma de Oliveira revela como lida com fãs e amigos nas redes sociais

Luma de Oliveira (Imagem: Reprodução / Instagram)

Luma de Oliveira revelou que tem utilizado as redes sociais para manter contato com os amigos e fãs. A ex-modelo passou a transformar o seu perfil no Instagram em um verdadeiro consultório sentimental dando conselhos aos seus seguidores sobre os mais variados assuntos.

“Quando publico alguma coisa em rede social, tiro uma hora e meia para responder e faço com prazer. Então, os poucos amigos que tenho me proporcionam troca. Tem gentileza naquele relacionamento, tem uma coisa que é boa. Essa troca com gentileza, com vai e volta, é importante”, afirmou Luma em entrevista à coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo.

Segundo ela, as respostas são feitas da forma mais honesta. “Às vezes, as pessoas desabafam: ‘Me roubaram a autoestima’. E eu digo: ‘Mas só roubam o que é material. Não podem te roubar, porque é teu. Você que pegue de volta’. Ninguém tem o direito de dizer quem você é. Se você souber o tamanho que você tem não vai deixar a pessoa levar. As pessoas me perguntam de vida pessoal e situações delicadas, não de cosméticos. A maioria indaga coisas que podem fazer diferença e eu respondo. Quando você ajuda, você é ajudada”, refletiu.

Longe da internet, a atriz disse que prefere cultivar poucos, porém bons amigos. “Amizade não é só se doar, é também receber. Uma hora você ajuda, uma hora você é ajudada. Tenho um amigo desde os cinco anos de idade. A vida põe um para um canto e outro para o outro, mas a gente sempre volta.Tem troca de generosidade, de solidariedade, de escuta, de fala…. É a troca.”

“Estou perto de pessoas que têm os mesmos valores de vida que eu. Até posso ter uma convivência rasa com pessoas que são diferentes de mim, mas, tem que ter os mesmos valores para somar. Às vezes prefiro ficar com menos amigos, mas com aqueles com quem tenho troca de energia”, confessou.

A eterna musa do carnaval também comentou sobre o projeto de relatar as suas experiências em um livro. “Editoras e jornalistas já me sondaram. Tenho tido contato com gente que diz que a filha se chama Luma porque eu tenho uma luz bacana. É horrível eu mesma dizer isso, mas é porque me sinto gratificada mesmo. Isso me impulsionou um pouco a acelerar o processo (do livro)”, explicou.

As vésperas de completar 56 anos, Luma de Oliveira contou como lida com os altos e baixos da vida e tem evitado autocobranças. “Não cobro tanto de mim. Tem uma fase em que talvez eu não esteja tão produtiva e tudo bem. A gente não pode se exigir demais e se sentir culpada, porque todo mundo tem limite. Nós somos a nossa morada.”

DEIXE SUA OPINIÃO

Veja mais ›