Mãe de Cauan deixa hospital e sertanejo comemora: “mais uma vitória”

Cleber, da dupla Cleber e Cauan (Reprodução)
Cleber, da dupla Cleber e Cauan (Reprodução)

O sertanejo Cauan Máximo, da dupla com Cleber, usou as redes sociais para informar que sua mãe, Shirlei Máximo, já está curada do coronavírus. Ela estava internada há alguns semanas após complicações da doença.

Através de seu perfil do Instagram, o artista posou ao lado de sua mãe e comemorou a novidade. Shirlei recebeu alta médica na última segunda-feira (31) e vai continuar o tratamento em casa, com a família.

“Mais uma vitória. Minha mamãe Shirlei já está fora do hospital. Em breve comemoraremos a vitória do meu papai, João Luiz Maximo”, escreveu Cauan na legenda da publicação que também contava com a presença de seu irmão.

Quem também enfrenta a doença é o pai de Cauan, que está há cerca de 10 dias internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em Goiânia. Conforme informações do hospital, João Luiz Máximo teve uma pequena melhora nos últimos dias.

“Hoje é mais um dia (o 4º) em que ele apresenta melhora clínica e também dos exames de laboratório, que ainda estão alterados, mas melhorando. Mantém-se dependendo de oxigenioterapia contínua (24 h/dia), usando máscara de VNI e CAF, fazendo uso de antibiótico, anticoagulante, corticoide, analgésicos e outros medicamentos”, disse o comunicado.

Luta contra o vírus

Cauan passou quase um mês internado em um hospital de Goiânia por conta de complicações do COVID-19. O artista chegou a ficar com 75% dos pulmões comprometidos e teve que fazer uso de respiradores.

Em recente entrevista ao programa Encontro, o sertanejo comentou sobre a polêmica envolvendo seu nome. Nos últimos dias vazou um vídeo onde ele debochava da pandemia do coronavírus. Cauan pediu desculpas.

“Talvez um mês antes de isso acontecer comigo, eu já estava buscando a mudança interior, mudar a arrogância, algumas coisas que a gente tinha. Tem uns vídeos meus falando da doença. Eu falava aquilo mesmo, era muito insensato. Tem um vídeo que eu brinco com a doença, não me cuidava muito. Meu irmão me advertia sempre, meus pais me advertiam. Às vezes a gente ouve, às vezes não”, contou ele.