Mara Maravilha diz que não é homofóbica

Nas redes sociais, a cantora Mara Maravilha optou em dividir uma foto em que surge com um casaco com as cores do arco-íris, e se pronunciar sobre boatos de ser homofóbica. Na ocasião, ela revelou que sempre respeitou decisões diferentes de qualquer indivíduo. 

“Queiram ou não; aceita que dói menos: eu sou um arco-íris maravilha…O justo não se justifica e eu não sou homofóbica, não faço acepção de pessoas e quem me conhece sabe muito bem disso. Porém, longe de minha pessoa ser mais uma oportunista da causa, até politicamente falando”, começou ela.

Na sequência, a artista que é mãe de Benjamin declarou que está com a consciência tranquila, e sabe muito bem que nunca foi homofóbica com nenhuma pessoa.

“Isso mesmo, oportunista com interesses políticos… porque o meu sucesso é a minha consciência tranquila, amando, respeitando o livre arbítrio que o Senhor Deus nos concedeu. Vamos fazer um show da vida sendo regido pelas palavras respeito, ética e amor entre todos nós héteros e homossexuais, expandindo esse amor aos mais sofridos e necessitados, os pobres e os que estão a margem da sociedade. Amor, amor e sempre o amor!”, falou.

Apoio dos fãs

Ao lerem o desabafo da apresentadora, diversos admiradores de Mara Maravilha reagiram ao post. “Sabemos que você é incapaz de ser homofóbica, pois esbanja amor”, disse um seguidor.

“Você é tudo na vida dos fãs, esses boatos são de pessoas que não são amadas”, falou o segundo individuo. “Saiba que és maravilhosa, te amamos demais da conta”, falou a terceira pessoa.

Mudanças na vida pessoal

Em conversa com a revista Quem, Mara destacou que após a entrada de Benjamin em sua vida, tudo ficou mais colorido e muito melhor. Vale mencionar que, ela adotou a criança há pouco tempo, ao lado do noivo Gabriel Torres.

“Tudo, tudo mudou. Minha vida ganhou cor e fica a cada dia mais colorida. Quero me cuidar muito para ter energia porque o Benjamin tem energia demais. Tudo o que faço é pensando nele. Na quarentena, passo bastante tempo com meu filho e, ainda assim, acho que, às vezes, falta tempo, de tanto que quero curti-lo. Quero ajudar outras mulheres que estão nessa situação, nesse processo de adoção. Quero empoderá-las, mostrar que vale a pena não desistir. Realmente, há burocracias, mas é um processo que precisa de etapas. Então, tem as entrevistas, a  entrega de documentação”, disse ela.

Confira:

Rafael Carvalho
Formado em Jornalismo pela Faculdade das Américas (FAM), já apresentou programa de entretenimento relacionado ao mundo dos famosos e entrevistou artistas do meio.
Veja mais ›