Preta Gil abre o jogo sobre o Carnaval de 2021

Preta Gil (Reprodução/Instagram)
Preta Gil comentou sobre o Carnaval de 2021 (Reprodução/Instagram)

Há quase 20 anos lidando com diversos improvisos e muita alegria nos Carnavais, a cantora Preta Gil conversou com o Gshow e revelou que por causa da atual pandemia do coronavírus, ficará em casa no ‘bloco do pijama’, ao lado da família.

A artista que foi uma das primeiras a receber o diagnóstico positivo da doença, afirmou que entende bem a gravidade do problema de saúde que enfrentou no último ano.

“Peguei Covid-19 logo após o fim do Carnaval de 2020. Acompanhei de perto esse problema e sei o quanto é perigoso. A consciência é importante”, iniciou ela.

Em seguida, ela destacou que aproveitará os dias de descanso para ficar ao lado da netinha Sol de Maria. 

“Certamente passaremos bons dias juntas, a gente tem uma linda troca. Sol é parecida comigo em várias coisas e então a gente passa horas sempre muito divertidas. Vou promover um baile do pijama em família. Vou fazer show na internet para incentivar as pessoas a ficarem em casa e se cuidarem”, declarou ela.

Preocupação

Em conversa recente com a revista Quem, a esposa de Rodrigo Godoy detalhou a sua preocupação com o cancelamento do Carnaval. Segundo ela, há pessoas que dependem dos dias de folia para ganhar dinheiro.

“Lá atrás, quando eu já sabia que não iria ter Carnaval e as pessoas ainda insistiam que iria ter, fiquei muito chateada. Não por mim, mas pelos trabalhadores que dependem das festas. São muitas pessoas que envolvem uma indústria que é muito forte”, declarou ela.

Mesmo com diversas formar de se manter, a filha de Gilberto Gil fez questão de demonstrar empatia.

“Eu fiquei pensando nessa galera da base da pirâmide, os vendedores ambulantes, catadores de latinhas… Eu consigo me manter sem Carnaval porque tenho inúmeras fontes de renda. Mas a maioria não”, falou ela.

Posicionamento

Há poucos dias, Preta participou do programa ‘Encontro’ e argumentou sobre as atitudes de militância dentro do BBB 21.

“Tive menos medo de expressar minha opinião. Militei quando tinha que militar, mas nunca fui uma mulher de impulso, sempre esperei a hora certa para falar. Gosto de observar. Eu maturo e reflito muito antes de me expor. Tenho maturidade de vida”, declarou ela.

Por fim, a empresária enfatizou que chegar aos 50 anos lhe trouxe ainda mais maturidade.

“Uma mulher de quase 50 anos muda porque a velocidade é outra, primeiro pela bagagem. Você tem muito mais repertório para analisar as coisas, dar opinião. A pandemia chegou junto com a minha maturidade. Foram choques de duas realidades”, finalizou a cantora.

DEIXE SUA OPINIÃO

Veja mais ›