Priscilla Alcantara vence The Masked Singer Brasil e fala do fututo

Priscilla Alcântara, de 25 anos de idade, é a grande vencedora da primeira edição do The Masked Singer Brasil na noite desta terça-feira (19). A cantora venceu o ator Nicolas Prattes na grande final, que estava mascarado de Monstro.

Em entrevista ao Bate-papo The Masked Singer, com Camilla de Lucas, a cantora disse que o reality show mostrou um outro lado da Priscila: “O Unicórnio mostrou outras possibilidades da Priscilla artista. Me deu a oportunidade de interpretar músicas que talvez como Priscilla eu nunca teria o ímpeto de ir lá interpretar”, disse ela. “O público pode esperar uma Priscilla muito ousada e empoderada. Sempre me considerei uma pessoa muito corajosa, mas acho que saio mais. Essa experiência me fez lembrar porque eu faço o que faço. Eu não sou só uma marca, só um nome. Sou alguém que quero servir as pessoas com a minha voz, declarou ela.

Sobre uma possível colaboração com Ivete Sangalo, a cantora brincou: “A Ivete gostou do Unicórnio e agora vai ter que provar, gravando com a menina de dentro do Unicórnio (risos)”, brincou ela.

Questionada se sentiu mais coragem em participar de um reality show mascarada, Priscila Alcântara disse que como as pessoas não conseguiam enxergar o seu rosto, ela fez coisas que naturalmente não faria caso estivesse sem a fantasia:

“Eu entrei no programa com esse pensamento de que ninguém estava vendo meu rosto e fazer coisas que naturalmente eu não faria, por qualquer razão. E eu não sei por qual razão, mas vai ser muito incrível poder carregar isso comigo agora”, disse ela.

Priscila Alcântara abriu o jogo e disse que nunca teve espaço para a timidez: “Nunca tive espaço para timidez. Nas minhas festinhas de aniversário eu colocava todo mundo para me ouvir cantar e ver meus shows. Eu sempre fui muito exibida, pé no chão sempre, mas eu amo!”, confessou ela.

Segredo nos bastidores

“Tive que me conter e dar uma oportunidade para uma outra faceta, que não é a Priscilla. Mas foi muito bom dar vida a esse personagem e torná-lo conhecido pela voz. Eu pude usar só o que verdadeiramente importa para contribuir com as pessoas e quem apareceu não fui eu. E acho que a gente tem que ser assim na vida. Não temos que nos preocupar em aparecer mais que o outro”.

MAIS LIDAS

Veja mais ›