Rachel Sheherazade tem salário e ocorridos no SBT revelados

O processo que Rachel Sheherazade move contra o SBT na Justiça de São Paulo revelou bastidores da passagem da jornalista pela emissora. O salário inicial da comunicadora, assim como episódio em que trabalhou em cadeira de rodas, foram expostos.

Na ação, a passagem de Sheherazade pelo SBT foi detalhada desde o início, em 2011. Na época, ela foi convidada para conhecer as instalações da emissora, em Osasco, na Grande São Paulo. Leon Abravanel Jr., sobrinho de Silvio Santos, teria feito o convite de trabalho por meio de uma ligação.

Nesta visita, a jornalista teve contato com diretores e filhas de Silvio Santos, e recebeu o convite para apresentar o SBT Brasil – o qual aceitou. No dia em que esteve na sede do canal, ela teve uma reunião com uma das herdeiras de Silvio (o nome da filha em questão não foi revelado).

Rachel Sheherazade aceitou proposta sem negociação

Na reunião em que selou sua contratação, Sheherazade teria aceito receber um salário de R$ 30 mil mensais, com auxílio-moradia e plano de saúde familiar – posteriormente, ela teve reajustes. De acordo com trecho do texto ao qual o Entretê teve acesso, ela teria aceito as condições oferecidas sem negociar as propostas.

O documento revela que, inicialmente, a apresentadora teve um contrato de trabalho sem registro formal na Carteira de Trabalho. Passados dois anos, ela teve de constituir uma pessoa jurídica para continuar a prestar serviços. De acordo com trecho da ata de audiência, na ocasião não foi lhe dada outra opção a não ser essa.

Sheherazade tinha horário fixo de trabalho, de segunda-feira a sexta-feira, das 16h às 21h. Ela recebia o salário mensal em sua conta bancária e emitia notas fiscais para o recebimento dos valores, já que tinha contrato como pessoa jurídica.

Jornalista trabalhou em cadeira de rodas

A ata da audiência também revela um episódio em que a jornalista trabalhou machucada. Foi citado que ela apresentava atestados médicos quando estava doente, mas que em uma ocasião chegou a trabalhar mesmo com “impossibilidade médica”.

Isso aconteceu na época em que Sheherazade quebrou o pé, fazendo a apresentação em cadeira de rodas. A rotina da ex-âncora do SBT Brasil também foi revelada.

A apresentadora chegava ao canal de Silvio Santos às 16h, gravava alguns “offs”, ia para o camarim, onde recebia o figurino do dia, passando por maquiagem e cabeleireiro.

Na sequência, Sheherazade gravava mais alguns “offs”, até que por volta das 18h30 realizada a gravação da escalada do jornal. Depois disso, retornava ao estúdio, onde aguardava até o momento em que o telejornal ia ao ar.

Falta de aviso e correria no SBT

Também foi citado que toda vez que fosse faltar ao trabalho, a jornalista deveria comunicar previamente para possibilitar ao SBT arranjar um substituto. No entanto, foi exposto no documento que em algumas ocasiões ela não avisou. Isso obrigou a emissora a fazer substituição às pressas por volta das 19h, pouco tempo antes do telejornal ir ao ar.

Rachel Sheherazade move processo contra o SBT desde março. Ela pede R$ 20 milhões na ação trabalhista. A Justiça de São Paulo tentou fazer acordo, mas a emissora rejeitou uma conciliação novamente (confira detalhes aqui).

O que você achou? Siga @siteentrete no Instagram para ver as últimas notícias dos famosos e deixe seu comentário clicando aqui.

MAIS LIDAS

Vitor Peccoli
Publicitário, roteirista formado pela Casa Aguinaldo Silva de Artes. Escreve sobre TV e famosos desde 2013 | Contato: [email protected]
Veja mais ›