Sabrina Sato recorda ida em show chamativo na Tailândia

Sabrina Sato, de 40 anos de idade, participou do programa “Que Historia é Essa Porchat” e fez revelações para lá de inusitadas. A apresentadora abriu o jogo e contou que durante uma viagem para Amsterdã, na Holanda, resolveu visitar ao lado de amigos um ping pong show ( Atração em que as mulheres usam os seus órgãos genitais para arremessarem bolinhas).

“Ela foi buscar um voluntário para comer banana e gritou: ‘Sabrina Sato!’ E eu: ‘não, sou a Dani Suzuki! Sou prima da Sabrina Sato, não são não!”, contou ela.

“Como eu falava português e ela também, consegui falar que estava de boa e agradecer o convite. Depois que terminou o show, tirei foto com ela, com os atores…”, falou ela.

Uns anos depois, já em 2015, a apresentadora decidiu assistir a um show de pompoarismo na Tailândia, na Ásia, quando ela chegou ao local as mulheres estavam arremessando bolinhas com as partes íntimas: “De repente, vem um carinha pequenininho no palco, virou para a gente e começou a metralhar bolinhas em direção à plateia, com o ‘furico’. Comecei a fazer tanto escândalo nessa hora, com as bolinhas vindo em mim, que a mulher no palco me puxou“, iniciou ela.

“Subi no palco, comecei a ouvir tambores e me empolguei, comecei a sambar… Quando olhei para o lado, eram uns ‘batucões’ gigantes batendo no negócio tambor”, contou ela. 

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Carreira na TV

Recentemente, a apresentadora usou as suas redes sociais para comemorar 71 anos da televisão brasileira. Na ocasião, a famosa compartilhou um vídeo em sua conta oficial do Instagram recordando os grandes momentos de sua carreira na televisão.

“Eu faço parte de uma geração que nasceu e cresceu assistindo à televisão. Desde criança, eu falava para a minha mãe que eu seria apresentadora, cantora, atriz. E a minha mãe perguntava: ‘Mas quem vai ser o seu pai ou a sua mãe se você for fazer uma novela?‘ Ela não queria me desestimular, mas não queria me ver quebrando a cara. A TV me ensinou a sonhar e norteou minhas escolhas. Foi assistindo programas de auditório e novelas que descobri minha grande paixão: me comunicar. Quando eu era pequena, eu já sabia que um dia faria parte desse mundo que encanta milhões de brasileiros”

“Na minha infância e adolescência, não existiam orientais na TV, mas mesmo assim, eu tinha certeza que um dia conquistaria meu espaço e realizaria o sonho de falar com milhões de brasileiros. Mais do que uma fonte de entretenimento, a TV é um veículo que leva esperança para os brasileiros. A TV é uma janela que nos apresenta novas realidades, que faz com que a sociedade debata assuntos importantes”, disse ela.

MAIS LIDAS

Veja mais ›