Sérgio Mallandro relembra época de pobre e entrega perrengue

Sergio Mallandro
Sérgio Mallandro relembra época de pobre e entrega perrengue (Foto: Reprodução)

Em cartaz nos cinemas do Brasil com o filme Mallandro: O Errado que Deu Certo, Sérgio Mallandro disse ao UOL detalhes dos perrengues que já enfrentou até agora, o auge dos seus 68 anos. Direto e sincero, ele disse ter ficado com apenas sete reais na conta e com dois filhos para criar.

Muito do que está no filme são coisas que aconteceram comigo. Mostra momentos difíceis da minha vida e como eu me reinventei, como voltei a ser o Sérgio Mallandro”, começou ele.

Dando continuidade, o humorista disse que após perder o seu programa em 1996 se viu perdido e teve muitas dificuldades. ”Eu saí do ar em 1996 e fiquei três anos fora da TV, em uma época em que, se a televisão não te contratasse, você não tinha para onde correr”, apontou. “Fui perdendo, fui perdendo, até que de repente eu vi que eu tinha R$ 7 na conta”, relembrou  famoso.

Obstáculo de Sérgio Mallandro

Em um outro momento da entrevista, Sérgio Mallandro relembrou quando teve um oficial de justiça em sua porta com o intuito de pegar o seu último carro que não estava sendo pago. Emocionado, ele detalhou o ocorrido com muito orgulho do seu real obstáculo na época.

“Quando um oficial de justiça bateu na minha porta para levar o meu último carro, ele me reconheceu, ficou surpreso e me disse que eu era ídolo do filho dele de 9 anos, que estava com câncer. Eu pedi para ele esperar e fui buscar um presentinho para para ele. Achei um bonequinho que fazia glu-glu e dei para ele. Ele ficou sem jeito, perguntou: ‘Como vou levar seu carro embora?’ Mas eu disse que não era para confundir as coisas, que era para ele fazer o trabalho dele. Quando ele desceu a ladeira da minha rua com o carro, eu comecei a chorar muito. Mas não era porque estava levando o meu carro. Foi porque eu percebi que, dentro da minha casa, eu tinha os meus três filhos saudáveis”, desabafou.