Tatá Werneck responde pergunta chocante de fã: “Quer marcar horário?”

Tatá Werneck se revoltou e rebateu críticas contra a irmã de Paulo Gustavo (Foto: Reprodução/TV Globo)
Tatá Werneck respondeu dúvidas de fãs nas redes sociais (Foto: Reprodução/TV Globo)

A apresentadora Tatá Werneck continua fazendo sucesso em suas redes sociais. Ela abriu uma nova caixinha de perguntas e deixou que seus fãs fizessem qualquer tipo de pergunta. Aberta a receber questionamentos quentes, que sempre leva na esportiva e com bom humor, ela acabou falando rapidamente sobre sua vida amorosa.

Um internauta não identificado e que não se alongou na pergunta foi bem direto: “Você faz anal?”, quis saber. Tatá, então, respondeu fazendo piada. “Faço, quer marcar horário?”, perguntou a comandante do Lady Night. Um outro fã, então, chamou a famosa de “lambe c*”, sem nenhum contexto. E ela fez mais uma piada. “Gente, vocês não mandam em mim, não! Quando?”, questionou.

Apesar do bom humor, Tatá Werneck se irritou com um fã nesta semana também pela caixinha de perguntas. Ele pediu que Tatá comentasse em uma de suas fotos fingindo ser Paulo Gustavo, que morreu em maio. E a humorista se irritou. “Você é imbecil, garota? Sério, você é imbecil?”, disse ela, que acabou apagando o vídeo mais tarde.

Paulo Gustavo

No mês passado, Tatá Werneck acabou discutindo com alguns seguidores nas redes sociais. Depois que ela criticou uma grande aglomeração promovida pelo presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, ela recebeu críticas. “Pergunta sincera: por que os artistas só ‘se revoltam’ se a aglomeração for a favor do presidente? Por que nunca ‘se revoltam’ quando a aglomeração é contra o presidente ou quando é provocada por outros políticos/artistas? Que coisa curiosa”, escreveu um fã.

A apresentadora, então, disse que existe um grande motivo pra isso: a morte de centenas de milhares de pessoas ao redor do país. “Porque estão comemorando um país que perdeu 430 mil vidas! Não é possível que isso não te afete”, disparou.

“Não ouse!”

A situação ficou ainda mais tensa quando um outro usuário decidiu “justificar” a aglomeração usando o nome de Paulo Gustavo, que morreu de Covid-19. “Tata, ninguém tá comemorando morte de 430 mil pessoas, mas sim exercendo liberdade de expressão. E não há nenhuma comprovação científica que aglomeração causa mais ou menor mortes. Em vários lugares a maioria que morreu estava longe das aglomerações. Paulo não tava aglomerando“, citou.

Werneck ficou bastante irritada. “Querido, não ouse usar o nome do Paulo para justificar sua teoria irresponsável de que aglomeração não prejudica a pandemia. Você jura que nunca ouviu falar que é necessário distanciamento social? E aquela quantidade de pessoas sem máscara? Te explicando o mínimo”, disse.

Thiago Freitas
Marketing - Centro Universitário de Belo Horizonte. Atua como redator para o nicho de TV e famosos.
Veja mais ›