Escritor de John Wick não planeja lançar mais spinoffs da franquia

“John Wick” (Foto: Divulgação)

John Wick é uma das franquias de filme de maior sucesso da atualidade e gerou três filmes em dois anos e um quarto está para chegar em breve no cinemas. Além da série principal, outros dois projetos estão sendo desenvolvidos, sendo o primeiro um filme focado nos assassinos russos apresentados em John Wick 3: Parabellum, e o segundo é uma série televisiva que servirá de prequel para os filmes. Apesar do roteirista Derek Kolstad tenha criado a franquia Wick e contiue escrevendo a série principal, ele revelou em um entrevista não planeja lançar mais projetos e nem se envolver em mais spinoffs de John Wick.

Ao ser questionado pelo site Comic Book sobre se deseja lançar mais spinoffs de Wick, Derek Kolstad respondeu: “Na verdade não”. Ele continuou: “Porque quando você olha o que tem feito parte do estabelecimento e da construção da fundação desse mundo, você assina primeiro um contrato, em não sou ninguém. Eu sou e não sou parte disso, e ainda assim você só quer dar sua benção e fazer com tudo saia bem. Eu não como George Luca nessa capacidade”.

Kolstad acrescentou: “Eu sou o cara que escreveu as especificações que foram feitas e fui abençoado o suficiente para fazer parte de três, e espero, em certo sentido, fazer parte de algo mais. Os estúdios me lembram repetidamente que isso se tornou maior do que eu, mas isso é o mais icônico que você pode ouvir de um estúdio. E, no entanto, tem sido uma grande alegria”.

“Não estou envolvido tanto com o Continental, se é que existe, em um EP não escrito, porque quando John Wick saiu, eu sou era um escrito novato”, lembrou o roteirista. Apesar de estar creditado como produtor executivo em The Continental, ele não está totalmente envolvido no projeto e está dando espaço para showrunner Chirs Collins.

Ele finalizou: “Esse foi o meu primeiro trabalho teatral. Eu já havia feito algumas coisas para DVDs e esse tipo de coisa, mas sei muito pouco sobre isso e ainda assim dou a minha bênção, porque quão legal é isso? Quando você pensa que você pode, no espaço da televisão, ter um playground onde os personagens de seu próprio espaço possam entrar e sair a qualquer momento, dependendo da força da história, isso é incrível”.