Escritor de Pokémon se decepcionou com mudança feita em Lugia

Cena de Pokémon O Filme 2000: O Poder de Um (Reprodução)
Cena de Pokémon O Filme 2000: O Poder de Um (Reprodução)

Por anos Takeshi Shudo cuidou das aventuras de Ash e Pikachu no anime Pokémon, infelizmente, ele veio a falecer em 2010. Contudo, ele deixou uma série de anotações sobre suas criações que estão sendo traduzidas e levadas a público pelo blog do Dr. Lava. Entre as anotações, Shudo falou muito de sua principal criação, Lugia, que foi criado especificamente para o segundo filme da franquia dos monstrinhos de bolso, mas acabou se tornando parte dos jogos também.

Em suas ideias originais para Lugia, Takeshi Shudo imaginou o pássaro lendário sendo “macho e fêmea” ao mesmo tempo, ou seja, ao falar, o Pokémon teria uma voz ao mesmo tempo masculina e feminina. Contudo, os executivos passaram por cima da decisão de Shudo e deixaram Lugia apenas com a voz masculina, o que deixou o criador do monstrinho muito entristecido. Em sua anotações Shudo escreveu: “Os comerciais já tinham ido ao ar. Era tarde demais, nós não podíamos mudar Lugia repentinamente para ser uma fêmea… eu estava mergulhando em álcool e drogas. Eu comecei a sentir que queria morrer”.

Takeshi Shudo queria que Lugia representasse uma “fonte de vida maternal”, mas a mudança na voz do personagem não transmitiu essa ideia. Nos seus últimos dias de vida, Shudo escreveu muito a respeito de Lugia e como as mudanças feitas no personagem foram decepcionantes para ele. Ele também criticou diversas mudanças no filme, como colocar a cena onde Misty salva Ash de um afogamento apenas para forçar o público a chorar.

Pokémon O Filme 2000: O Poder de Um, mostrou Ash e seus companheiros de aventura tentando lidar com um colecionador que quer pegar Articuno, Zapdos e Moltres, os três pássaros lendários, para então ter o prêmio maior: Lugia. Isso acaba causando um apocalipse mundial, onde o clima do planeta entra em colapso. Ash então é escolhido para domar Lugia e libertar os pássaros lendários.