Escritor revela como seria filme do Flash, escrito por ele e Ezra Miller e descartado pela Warner

Ezra Miller como Flash (Reprodução / DC)
Ezra Miller como Flash (Reprodução / DC)

Programado como lançamento futuro do DCEU, o filme solo do Flash, passou por muita confusão nos bastidores, devido às ideias que não saíam do papel e a troca constante de profissionais envolvidos. Desenvolvido desde 2015, o longa teve uma lista de diretores, como Seth Grahame-Smith e Rick Famuyiwa. Mais recentemente, a Warner Bros. contratou John Francis Daley e Jonathan Goldstein, para dirigir, mas os cineastas estavam com opiniões divergentes quanto à história adaptada dos quadrinhos da DC Comics.

Christina Hodson (de Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa) foi contratada para lidar com o roteiro, enquanto Andy Muschietti irá dirigir o filme, mas antes disso, o próprio Ezra Miller se juntou ao escritor de quadrinhos Grant Morrison para escrever um rascunho de roteiro, descartado pelo estúdio. Em uma entrevista ao site Collider, Morrison contou sobre como era o roteiro.

“Ezra Miller e eu escrevemos isso no ano passado, mas meio que, você sabe como é? Foi apenas uma daquelas coisas que todos nós… Bem, eu pensei que tínhamos uma versão muito boa do Flash e a escrevemos tão rápido quanto o Flash, porque era muito exigente e era muito boa. E acho que depois de alguns rascunhos, teria sido ótimo. Mas da maneira como alguns estúdios funcionam, essas coisas vêm e vão. Acho que cerca de 15 pessoas já escreveram versões do Flash, mas parece que está acontecendo agora, mas não com a versão que fizemos. Eu me diverti! Ezra veio até a casa e nos divertimos muito e criamos a história. E talvez um dia o roteiro vaze para o mundo”, disparou ele.

Questionado sobre como era sua história, ele revelou que não era como a história comum dos filmes de super-heróis, e que se assemelhava mais às histórias de ficção científica como De Volta Para o Futuro, e descartou os boatos de que Miller pediu por uma versão mais sombria do velocista escarlate:

“Não, não era mais sombrio. Quero dizer, elementos de escuridão estavam lá e o material que eles queriam que usássemos [era] o Flashpoint. Então, Ezra e eu estávamos tentando fazer algo um pouco mais – como eu disse, é como uma ótima história de ficção científica. E se você não conhecesse [os quadrinhos], faria sentido. Mas tenho que dizer, quero dizer, não quero falar sobre isso, porque outra pessoa fez seu próprio trabalho nisso e tenho certeza que será ótimo. E talvez, como eu disse, isso vazará um dia e as pessoas poderão julgar”, disse o escritor saindo pela tangente.