Especialista diz que Tenet não deve estrear em agosto conforme previsto

John David Washington e Robert Pattinson (Imagem: Entertainment Weekly)

Passamos da metade do ano e Bob Chapek, CEO da Disney, errou feio em sua previsão, ao afirmar que no mês de julho, o mundo já teria voltado ao normal e que as pessoas estariam ávidas para irem aos cinemas, devido a uma demanda reprimida pelos meses em que as salas permaneceram fechadas.  Tenet, primeiro grande filme a entrar em cartaz em julho atraiu grande atenção, não só por ser o longa que poderia fazer com que todos os grandes estúdios também estreassem seus filmes, mantidos em stand-by desde o início da pandemia, mas por ser dirigido por Christopher Nolan, cineasta que costuma ousar na linguagem utilizada. Porém, a Warner Bros., responsável pelo filme parece estar com um pé atrás e já adiou a estréia duas vezes. Ele agora está com a data de lançamento bem próxima a outro filme do estúdio: Mulher-Maravilha.

Segundo o especialista Eric Handler, da MKM Partners, que há décadas trabalha no mercado cinematográfico, é provável que Tenet não chegue às telonas como previsto em agosto, já que segundo ele há baixa probabilidade de reabertura das salas conforme entrevista para o site Deadline. As poucas salas que reabriram nos Estados Unidos estão patinando com público em 30%. A rede Cinemark por exemplo atrasou sua reabertura para o dia 24 de julho.

“A Cinemark está satisfeita com a resposta do espectador e os principais aprendizados da nossa fase inicial de teste e aprendizagem de cinco teatros na área de Dallas, e esperamos receber os fãs de cinema de volta aos nossos auditórios em todo o país para assistir aos filmes mais recentes deste ano”, disse o CEO da Cinemark, Mark Zoradi, em um comunicado à imprensa.

“Nosso plano de reabertura em várias fases foi cuidadosamente projetado com várias contingências em vigor que nos permitem adaptar eficientemente ao ambiente em constante mudança de hoje. Continuamos prestando muita atenção ao status do vírus, aos mandatos locais e à disponibilidade de novos conteúdos enquanto priorizamos o saúde e segurança de nossos hóspedes, funcionários e comunidades”. Mas mesmo com todas essas medidas, os espectadores manifestaram nas redes sociais que ainda têm medo de pisar em um cinema novamente.